Maternidade: direcionada ao Eterno

Por Melissa Bergonso 

A maternidade é a essência da dignidade feminina. E não é por menos. Uma nobre missão é confiada às mães: educar e formar bons cristãos e santos para o céu. Tudo o que se fala excluindo-se isso é uma inverdade e um engano.

Mãozinha de Afonsinho

Mãozinha do Afonsinho, meu terceiro presente do céu!

Ser mãe é o ser para a Eternidade. Nos corações dos nossos filhos plantamos a esperança do futuro que há de vir, semeamos as virtudes que eles deverão, como bons cristãos, praticar e moldamos o caráter e a personalidade que eles hão de ter. Por isto, tudo o que enraizamos e cultivamos no coração dos nossos filhos, será colhido um dia, como frutos para o Céu, onde habitaremos, pela graça de Deus.

Sem a visão do Eterno é impossível ser uma mãe completa. Doar-se, aniquilar-se, sacrificar-se pelos filhos é apenas uma parte, que até um animal de estimação faz pela sua cria. Porém, educar e formar uma alma, fazendo-a conhecer, amar e servir a Deus é algo que só é cabível aos seres racionais, e mais especificamente às mães, que cuja tarefa foi outorgada pelo próprio Deus.

Ser mãe de muitos é uma grande graça! Os filhos, na terra, são os degraus para o Paraíso e, na glória, serão a coroa de santificação de suas mães. Deus é generoso com as famílias generosas. E foi em famílias numerosas que nasceram muitos santos que hoje veneramos.

Vede, os filhos são um dom de Deus: é uma recompensa o fruto das entranhas. Tais como as flechas nas mãos do guerreiro, assim são os filhos gerados na juventude. Feliz o homem que assim encheu sua aljava: não será confundido quando defender a sua causa contra seus inimigos à porta da cidade. (Sl 126, 3-5)

“[…] ela poderá salvar-se, cumprindo os deveres de mãe, contanto que permaneça com modéstia na fé, na caridade e na santidade” (1 Ti 2:15)

E por mais que tudo seja difícil, caótico ou até mesmo desesperador, não podemos nos esquecer que temos uma Mãe a recorrer, a admirar, a obedecer e especialmente a imitar, nosso modelo perfeito de mulher e de mãe: a Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus. Em seus braços, não devemos temer nada. Como Ela própria disse a Juan Diego, em sua aparição em Guadalupe:

“Meu querido filho, escuta e permite que minhas palavras invadam teu coração. Não fiques preocupado e nem te angusties com sofrimentos. Não temas nenhuma enfermidade ou moléstia, ansiedade ou dor. Não estou aqui, eu que sou tua mãe? Não estás debaixo de minha sombra e proteção? Não sou eu a fonte de tua vida? Não estás entre as dobras de meu manto? Sob o abrigo de meus braços? Há mais alguma coisa de que possas necessitar?” (JOHNSTON, Francis. O Milagre de Guadalupe. 5ª Edição, Aparecida: Editora Santuário, 2005, p.49.)

Mães, tenham força, coragem e confiança em Deus e em Nossa Senhora. Neste dia, peçamos à Santíssima Virgem, que é Mãe de todas as mães, que nos auxilie em nossa maternidade. Que possamos ser o sol do nosso lar, o coração que pulsa, o amor que abraça, o calor que aquece. Que nossos filhos possam ver em nós a ternura de Maria Imaculada. E que, assim, nosso lar possa ser um pedacinho do céu, como foi o lar da Sagrada Família, em Nazaré.

Feliz Dia das Mães!!

Salve Maria Imaculada!!


Deixe uma resposta