Meu sumiço: meu bebê #3

Por Melissa Bergonso

Comecei a escrever este texto em 17 de Janeiro, quatro dias antes do José Afonso nascer, já prevendo que provavelmente eu não conseguiria ter tempo para escrever depois. Não me enganei. De fato, os primeiros dias e meses são corridos. Bebê chora às vezes a noite toda, o dia todo, sonos mal dormidos, noites não dormidas… A lista é grande. Mas por mais atribulado que tudo possa ser, ser mãe de uma “escadinha” foi a melhor coisa que me aconteceu!

A rotina de quem tem filhos é corrida e, na maioria das vezes, caótica. E é claro que não poderia ser diferente. No meu caso em particular, cuidar de praticamente três bebês ao mesmo tempo faz da minha rotina uma loucura. Já não tenho tempo para mim mesma. Já não tenho tempo nem para olhar no relógio! Há quem diga que isso parece exagero, mas hoje eu entendo quem, com filhos, diz o mesmo.

Porém, por incrível que pareça, quanto mais filhos, mas “produtivo”, em certo aspecto, passa a ser o tempo. A gente aprende a lidar com a rotina imprevisível e com o foco nas tarefas domésticas. É verdade que há dias em que tudo parece perdido e que o caos, literalmente, se instala do teto ao chão aqui, como se um tornado passasse pela casa inteira e atirasse tudo o que tem na geladeira pelo chão da cozinha, todas as roupas do armário pelo chão da lavanderia e todos os cacarecos possíveis pelo chão da sala, corredor, quartos… nem o banheiro escapa!! Mas existem alguns dias em que tudo flui tão tranquilamente que eu nem sei como explicar como isso acontece. Só posso atribuir isto à bondade Divina!

Foto tirada na maternidade. Que lembrança maravilhosa!

Foto tirada na maternidade. Que lembrança maravilhosa!

José Afonso é meu terceiro dom. Terceira grande bênção em minha vida e na vida do meu marido. Mais trabalho, mais responsabilidade. Cuidar de filho dá trabalho? Sim, MUITO. Mas o quê na vida que REALMENTE VALE A PENA não dá trabalho? Filhos são o maior bem que um casal pode possuir, e isso é tão verdade que os filhos são um dos bens do matrimônio (a saber, os bens são três: filhos, indissolubilidade e fidelidade), como está descrito na Encíclica Casti Connubi (que TODO casal cristão tem obrigação de ler!).

É curioso — e muitas vezes engraçado — como as pessoas reagem com espanto quando digo que tenho três filhos e a idade deles. Hoje a mentalidade contraceptiva e a cultura do “filho único” são notórias, mesmo entre católicos. Quando muito, aceitam uns dois filhos, no máximo, porque “mais que isso é irresponsabilidade no nosso contexto sócio-econômico”. Mas, por mais que as pessoas me olhem de um jeito esquisito, querendo dizer “nossa, que louca!”, eu acabo achando graça nos “olhos esbugalhados” que me fazem. Aí vem aquela famosa exclamação: “Você é corajosa!”, e claro que isso NÃO é um elogio, é só para não falarem o que exatamente pensam.

Porém, deixar que Deus faça a Sua Vontade no número de filhos que Ele quer nos dar não se trata de coragem. Ter bastante filhos era para ser algo natural nas famílias católicas. Quantos filhos cada família terá só Deus o sabe. Para algumas Ele dá 10, para outras 3, para outras 1 e para outras, ainda, nenhum, por motivos que desconhecemos, mas que um dia saberemos no Céu. A mulher santifica-se pela maternidade, como diz São Paulo: “ela poderá salvar-se, cumprindo os deveres de mãe, contanto que permaneça com modéstia na fé, na caridade e na santidade” (1 Ti 2:15).

Filhos são dádiva de Deus. Nós não os temos porque os merecemos. Deus no-los concede por Bondade e Misericórdia. E nós, mulheres, ao aceitarmos a maternidade de acordo com a Santíssima Vontade de nosso Deus, colaboramos com a Obra da Criação, gerando filhos para Ele.

Entretanto, não basta apenas gerar. É nosso dever e responsabilidade educar bons cristãos e formar santos para o Céu. E é essa a missão primordial daquelas que são mães, daquelas que deram o seu sim no altar ao receberem o Sacramento do Matrimônio e tudo o que, com ele, implica. Mesmo entre dores e lágrimas. Mas também entre sorrisos e alegrias.

Vede, os filhos são um dom de Deus: é uma recompensa o fruto das entranhas. Tais como as flechas nas mãos do guerreiro, assim são os filhos gerados na juventude. Feliz o homem que assim encheu sua aljava: não será confundido quando defender a sua causa contra seus inimigos à porta da cidade. (Sl 126, 3-5)

Peço desculpas pela minha ausência aqui do blog. Vou fazendo postagens conforme for conseguindo.

Salve Maria Imaculada!!


Comentários ( 18 )

  • Oi, Melissa. Estava ansiosa por este post. Sabia que seu sumiço seria por causa do seu novo bebê. Que Deus abençoe muito sua família. Há dois meses também descobri que estou grávida, do meu primeiro bebê e tem sido uma experiência maravilhosa de experimentar a imensa bondade divina ao nos conceder esse grande dom. Não vejo a hora de ter meu bebezinho nos braços, mas vou curtindo cada momento. Beijos

  • A propósito, visitei sua cidade. Linda… participei da Santa Missa na Catedral (como bons turistas) e no Santuário do meu padroeiro e protetor São José… e fiz tudo que dava pra fazer rsrsrs

  • Oi Melissa, Salve Maria!
    Que lindo esses dons que Deus dá! Você disse algo muito certo, o mais importante é fazer a vontade de Deus! Seja com muitos filhos que Ele mandar, seja com poucos, seja com nenhum! No céu vamos entender… Nem consigo expressar minha alegria em saber que já está no terceiro filho, porque eu sei o quanto você pediu e confiou em Nosso Senhor na vontade dEle! Sinceramente me emociono de ver como Deus é generoso e te abençoa você e seu esposo com os filhos que Ele um dia espera ver no Céu!
    Eu conheço moças que sempre me criticaram indiretamente por ficar rezando e pedindo um esposo pra Deus, moças que acabaram se casando mesmo sem pedir. Penso que mesmo que eu nunca venha a me casar vai ter valido a pena manter firme na oração e no Céu, ah, no Céu, tudo eu vou entender! Já até me afastei de umas pessoas que me criticam porque não vale a pena ficar debatendo essas coisas do coração.
    Meus comentários são quase sempre um desabafo e já peço desculpas por isso, hehe. Mas, acho que você deve entender isso melhor do que eu, você que rezou por 10 anos até encontrar seu marido, eu ainda estou no oitavo ano de orações e só Deus sabe quando será. Mas me alegro de ver que Deus concede as graças a muitas pessoas de bem, você é uma delas!
    Fique com Deus e seja santa! =)

  • Lindos os seus bebês…que eles sejam cada vez mais abençoados por Deus e você também por ter aceitado a missão de ser mãe…

  • Oi Mel!

    De fato “Mas o quê na vida que REALMENTE VALE A PENA não dá trabalho?” Sim! É isso mesmo, e é altamente recompensador! Para a mulher é a maior realização ;)

  • Melissa, Salve Maria!

    Primeiro parabéns pelo lindo bebê! E segundo, como você faz para cuidar dos três durante a Missa? É que essas idades de 1 a 3 anos são bem complicadas.

    Abraço.

    • Oi, Lídia!!
      Para sair com os três no atual momento, só com alguém para ajudar, especialmente durante a Missa. Meus filhos são quietinhos na igreja, o do meio às vezes estranha um pouco estar no meio de muita gente, mas mesmo assim fica quieto no meu colo. Porém, agora, com o nenezinho, temos que ter alguém junto conosco para poder cuidar dos três…

  • Parabéns Melissa, recebeste mais um tesouro. Estou esperando meu 4º bebê. Tenho a Elena Maria com 5 anos, o Tobias Rafael com 3 Anos e o José Mathias com 1 ano e em maio nasce a Maria Cecília. Todo mundo fica apavorado, acham um absurdo… os mais próximos se preocupam com minha saúde(Agora chega né, assim você vi ficar esgotada, vai se acabar), outros se preocupam com a questão financeira( Olha a crise, vocês são loucos ou muito ricos…como vão pagar faculdade pra tanto filho, não é fácil, me escute que eu sou mais velho e eu sei…) alguns me perguntam se é uma questão religiosa. Filhos são uma benção E REALMENTE Deus é que sabe quantos teremos.

    • Olá, Viviane!! Obrigada!!
      Que notícia maravilhosa, parabéns a você também!!!
      E que mãe que é mãe tem tempo integral não se esgota, não é mesmo??? Acho que, em partes, essa é uma das formas da gente se santificar também, uma das oportunidades de oferecermos os sacrifícios que a maternidade demanda… As pessoas do nosso século não querem ter incômodos, nem trabalho, por isso se espantam quando dizemos que queremos ter quantos filhos Deus nos quiser dar. Eu sempre faço questão de dizer isto, para todo mundo. As pessoas me olham com cara de espanto, mas já nem ligo mais, acho até divertido. E quem disse que todo mundo precisa ir pra faculdade??? Eu tenho duas faculdades, uma especialização e um mestrado e nem por isso tive maravilhosas oportunidades de trabalho. Tem gente que nem faculdade tem e consegue deslanchar na vida. Faculdade é relativo. Hoje em dia virou carne de vaca, todo mundo faz, mas quase ninguém estuda direito! Títulos existem aos montes, mas quem realmente domina aquilo que se propõe a estudar? Ou melhor, quem realmente estuda o que realmente vale a pena e o que realmente vai trazer algum benefício para as pessoas? Tem muito lixo sendo proposto e estudado por aí, que não resolve nada e só serve para moldar mentes fracas e manipuláveis. Queria que os estudos fossem como antigamente, para formarem cidadãos de bem, pensantes, críticos que pudessem mudar o mundo para a melhor, não enfiar goela abaixo ideologias marxistas, anti-família e anticatólicas!
      Que nossos filhos sejam a esperança e o futuro do amanhã! Que nosso esgotamento valha cidadãos de bem no mundo, bons cristãos e santos no céu!!!
      Um beijo!!! Salve Maria Imaculada!!!

Deixe uma resposta