O Santíssimo Nome de Maria

1) Donde veio o nome de Maria dado à Santíssima Virgem?

O nome de Maria, como o de Jesus, veio do céu, e foi por ordem expressa de Deus, diz São Jerônimo, que São Joaquim e Santa Ana o deram à sua santíssima filha.

Esta é também a opinião de Santo Epifânio, de Santo Antonino e de São Pedro Damião.

Entre os homens, a imposição de um nome é frequentemente feita a esmo ou inspirada pelo capricho; várias vezes tal nome não tem analogia com as qualidades da pessoa que o leva. Muito diferente é o nome de Maria, saído dos tesouros da Divindade, e contendo as mais altas significações, das quais cada uma é para ele um título de glória e para nós, uma fonte inesgotável de benefícios.

SS, Nome de Maria

2) Que significa o nome de Maria?

Significa: Estrela do mar, Senhora, Soberana, luz brilhante. Segundo São Jerônimo, significa ainda oceano de amargura.

3) Cumpriram-se, na Santíssima Virgem, os significados de seu nome?

Sim, porque a Santíssima Virgem, pela sua qualidade de Mãe de Deus, de modelo de todas as virtudes e de dispensadora de todas as graças, realizou perfeitamente todos os significados do seu nome.

Realmente:

1) Maria é Nossa Senhora ou nossa Soberana, porque deu ao mundo o Rei imortal dos séculos, Jesus, Aquele que, por uma palavra, criou tudo, o Soberano Monarca a quem os povos e os reis obedecem. É portanto rainha do céu e da terra, soberana dos Anjos e dos homens; pois que “os súditos do filho são também vassalos da mãe”.

“Desde o instante em que Maria consentiu em ser a mãe de Deus, diz São Bernardino de Sena, mereceu que o cetro do mundo fosse colocado em suas mãos.”

2) Maria é também para nós, segundo São Bernardo, “aquela estrela brilhante que nos alumia e guia através dos numerosíssimos perigos que nos rodeiam em toda parte, sobre o mar tempestuoso deste mundo; é o astro benfazejo cuja luz nos indica o roteiro que conduz ao porto da salvação”.

3) Maria é ainda uma Luz radiante, porque é perfeitamente iluminada pelo divino raio que seu filho Jesus nela projeta, e que, por sua vez, se reflete sobre nós para guiar nossos passos e afastar-nos das veredas do erro.

4) Pode-se dizer ainda que nunca pessoa alguma sofreu tanto como Maria, particularmente quando, ao pé da Cruz do Calvário, misturava suas lágrimas com o sangue de seu divino Filho. A nova Eva fez, para a salvação do mundo, o que a Eva antiga fez para sua ruína. Maria associou-se ao sacrifício de Cristo, e conheceu todas as amarguras da Paixão e do Calvário: “Ó vós todos que passais pelo caminho, vinde e vede se há dor semelhante à minha dor.”

Foi nessa hora que, segundo a palavra do profeta, sua aflição foi “tão vasta como o mar” e que se viu submersa num oceano de amargura. Santo Ildefonso, considerando as dores da Mãe de Deus, não trepida em asseverar “que sobrepujaram as de todos os mártires juntos.”

4) Devemos ter muita devoção ao nome de Maria Santíssima?

Devemos ter este santíssimo nome sempre gravado em nosso coração, pronunciá-lo frequentemente com respeito, confiança e amor.

5) Por que devemos pronunciar esse nome com respeito?

Porque é o nome da Mãe de Deus, um nome de poder, de força, o maior, o mais respeitável de todos os nomes depois do nome de Jesus.

Santo Estêvão, rei de Hungria, não menos célebre pela sua terna piedade para com Maria do que pelas eminentes qualidades que praticou no trono, tinha tão profundo respeito pelo nome sagrado da Mãe de Deus, que não ousava nem mesmo pronunciá-lo: chamava Maria a Grande Senhora. Todos os seus súditos, a seu exemplo, davam-lhe o mesmo título, e se acontecia que, na sua presença, se pronunciasse o nome de Maria, logo todos dobravam o joelho, para testemunhar sua veneração por um nome tão augusto.

6) Por que devemos pronunciar o nome de Maria com muita confiança?

Porque é o nome de nossa protetora junto de Deus, porque é todo-poderoso para repelir de nós os demônios, e fazer-nos triunfar das tentações.

Não há coisa alguma que os demônios temam tanto como a invocação do nome de Maria. Ouvindo este nome, terrível para eles como um exército em ordem de batalha, fogem espavoridos. “Quem poderá dizer, exclama São Bernardo, todas as vitórias alcançadas por este nome tutelar? Não há um só cristão que este nome não tenha protegido.” “Por mais furiosos que sejam os demônios em perseguirem as almas, diz por sua vez São Germano de Constantinopla, forçoso lhes é deixarem a presa ao pronunciar-se o nome de Maria”.

7) Por que devemos pronunciar o nome de Maria com amor?

Porque é o nome de nossa mãe e porque nada há mais suave, mais harmonioso, mais consolador do que o nome de Maria unido ao de Jesus.

“Depois do nome de Jesus, dizem em geral os santos, não há no céu nem sobre a terra, nome que possa dar tanta consolação, ou seja capaz de inspirar tanta confiança como o nome de Maria. Pois bem, vede como os aflitos e os infelizes agrupam-se em redor dos altares de Maria! É ali que o pecador arrependido chora as suas culpas, que o cristão fraco e lânguido busca o socorro, que o coração magoado pela dor, acha inefáveis consolações.

Santo Afonso de Ligório escrevia o nome de Maria no começo de todas as suas cartas, e beijava-o quando o encontrava em suas leituras: “Ó minha rainha incomparável, ó minha terna mãe! exclamava ele, eu vos amo, e, por isso, amo também o vosso nome.”

8) Que efeito produz o santíssimo nome de Maria invocado com amor?

Este nome invocado com amor, dá consolação, alegria e confiança; fortifica e anima; ajuda a praticar a virtude e mantém os bons costumes. Ele dá a fé, a esperança e a caridade; converte os pecadores, faz perseverar os justos e abre-lhes a morada dos eleitos.

Lemos no livro das Revelações de Santa Brígida que ela ouviu, um dia, Nosso Senhor dizer à sua Mãe: “A quem invocar vosso nome e tiver confiança em vós, com firme propósito de se emendar, concederei três graças: a contrição dos pecados, o meio de satisfazer a minha justiça, e a força para perseverar no bem, e, como consequência de tudo isso, o reino dos céus.”

9) Quando, durante a tentação, houvermos piedosamente invocado o nome de Maria, não podemos crer não haver sucumbido?

Assim o pensa Santo Afonso de Ligório.

10) Que há de particular a notar-se a respeito do santíssimo nome de Maria?

O nome de Maria é o único de todos os nomes das criaturas em honra do qual a Igreja estabeleceu uma festa; celebra-se no domingo dentro da oitava da Natividade da santíssima Virgem.

11) Quem instituiu a festa do santo nome de Maria?

Foi o Papa Inocêncio XI, a 20 de Novembro de 1683.

Já esta festa se celebrava na Espanha, em Cuenza, no ano de 1513. O Papa Inocêncio XI mandou celebrá-la em toda a Igreja, em agradecimento da vitória insigne que libertou a cidade de Viena dos Turcos que a sitiavam.

12) Que fruto devemos tirar desta instrução?

Invocar frequentemente o santo nome de Maria durante a vida e sobretudo nas tentações e nos perigos, a fim de morrermos pronunciando-o.

Peçamos a Deus a graça de que as últimas palavras que saírem de nossos lábios moribundos, sejam os doces nomes de Jesus e de Maria. A morte torna-se consoladora e cheia de suavidade quando é amparada por estes nomes de graça e salvação.


Maria ensinada à mocidade: ou explicação do pequeno catecismo de Nossa Senhora. São Paulo: Francisco Alves, 1915. p.71-75.


Comentários ( 3 )

Deixe uma resposta