O nome de Maria

Por D. Ildefonso Rodriguez Villar

1º. Importância do nome

É um dos primeiros atos que se realiza quando nasce uma criança, o dar-lhe o nome. Todos lembram com carinho a festa do seu nome e costuma celebrar-se com solenidade semelhante, e por vezes ainda maior, do que a do dia do aniversário natalício. É uma das festas de família em que ao celebrar-se o santo do nome do pai ou da mãe se manifestam mais as suavíssimas expansões e alegrias profundas nos filhos.

Santíssimo nome de Maria

Recorda estas festas e as que com motivo do santo do teu próprio nome terás celebrado…; felicitações, obséquios, presentes, visitas… etc., tudo isto é próprio deste dia. Pois bem, hoje meditemos a festa do nome de Maria… a festa do dia do santo da Santíssima Virgem… Grande dia, grande festa deve ser para os seus devotos, para seus filhos amados!

Pensa, além disso, que a importância do nome depende da conformidade com a pessoa, isto é, que quanto melhor a representar, mais adequado será aquele nome. No mundo muitas vezes dão-se os nomes por capricho dos pais, por lembranças de família… nunca se atende a que seja digno e represente adequadamente a pessoa. Porém em Maria não foi assim. Não era conveniente que se lhe impusesse qualquer nome senão um que reunisse todas as graças e maravilhas que Deus havia encerrado n’Ela. Por isso ninguém podia dar-lhe um nome completo e adequado senão o próprio Deus… E esse nome é Maria!

2º. Grandeza deste nome

Já se compreende qual será esta grandeza se o próprio Deus é o autor dele. Tanto mais, que Deus nos deu nele como que um resumo do que é a Santíssima Virgem. Quando o Senhor escolhia a alguém para alguma coisa de extraordinário, o que primeiro fazia era mudar-lhe o nome, para que esse novo nome que Ele lhe dava correspondesse ao altíssimo fim a que destinava essa pessoa. Assim mudou o nome de Abraão… impôs o nome de Isaac… por meio dum anjo, indica a Zacarias como se chamará o Precursor e lhe diz que será João…

O mesmo Jesus Cristo ao fundar a Igreja e ao eleger entre os Apóstolos o que será sua cabeça e fundamento, Simão, Também lhe muda o nome e lhe chama Pedro. Agora pergunta a ti mesmo, que vale a dignidade e importância do ofício confiado a Abraão, a Isaac, ao Batista e a São Pedro, em comparação com a dignidade e com o destino de Maria? Quem pode, pois, dar-Lhe um nome digno dessa grandeza senão o próprio Deus?

Nós podemos chamar-nos de muitas maneiras, e como agora por vontade de nossos pais temos este nome atual, podíamos ter outro muito diferente. Porém com a Santíssima Virgem não foi assim…, chamou-a Maria e não pôde ter outro nome, porque o próprio Deus não encontrou outro modo melhor de A chamar. Vê, pois, que magnífico, que sublime não é este santíssimo e dulcíssimo nome!

Em certo modo pode dizer-se que vale tanto quanto a própria Santíssima Virgem, pois que a Ela representa. Por isso o Evangelho que tão poucas palavras diz da vida de Maria, não omite este pormenor de tanta importância e expressamente diz: «e o nome da Virgem era Maria». Assim, afirma São Pedro Damião «que o nome de Maria foi tirado desde toda a eternidade dos tesouros da própria Divindade quando no céu foi decretada a Redenção mediante a Incarnação do Verbo.»

3º. Utilidade

Tira pois por conclusão como devemos respeitar e venerar este santíssimo nome e como depois do nome de Jesus não há outro nem mais santo, nem mais doce, nem mais útil para nós, que o nome de Maria.

Se o nome de Jesus é santificador, também o nome de Maria nos santifica se soubermos pronunciá-lo com o respeito e amor que merece.

E aqui está porque depois do nome de Deus e do de Jesus, o nome de Maria é o mais popular de todos. As Mães ensinam-no a seus filhos…, os doentes e atribulados assim A chamam; os moribundos, deste modo, A invocam… Quantas igrejas, quantas ermidinhas levantadas em todo o mundo em honra do nome de Maria!… Quantos pecadores convertidos só com esta invocação!… Quantos milagres realizados com a invocação do nome de Maria!

Nada há mais doce às almas santas, nem mais proveitoso às pecadoras, do que juntar estes dois nomes benditos de Jesus e Maria e pronunciá-los e invocá-los muito a miúdo para acostumar-se a tirar deles a imensa utilidade que a sua frequente repetição traz às almas.

Fazes assim tu? Procuras estudar a importância e a grandeza divina deste santíssimo nome? Di-lo muitas vezes com verdadeiro fervor, especialmente nas tentações, dificuldades, contrariedades e desgostos da vida? Procuras sobretudo tê-lo bem gravado no fundo do teu coração?…


D. Ildefonso Rodriguez VILLAR. Pontos de Meditação sobre a Vida de Nossa Senhora. Porto, (s. e.), 1946, p.61-64.


Deixe uma resposta