Sobre o Santo Nome de Maria

1. O Santo Nome de Maria

O nome de Maria, que Joaquim e Ana impuseram à sua santa filha, era bastante comum entre os Judeus. Encontra-se pela primeira vez na Sagrada Escritura para designar a irmã de Moisés. Há várias Marias no Evangelho: Maria Madalena, Maria Salomé e Maria mulher de Cléofas que julgam ter sido irmão de São José.

2. Significação do Santo Nome de Maria

Nossa Senhora das Graças
Podemos afirmar que Maria realizou a significação de seu nome. Significa no mesmo tempo Senhora, isto é, Rainha, e Luz. Grafa-se Miriam ou Mariam entre os Judeus e adotamos a forma latina Maria.

1º. Maria é, com efeito, a Senhora ou Rainha dos anjos, dos homens, do mundo inteiro. A Igreja a sauda muitas vezes com este nome, principalmente nas ladainhas lauretanas. Costumamos, outrossim, chamá-la Nossa Senhora.
2º. Maria é também nossa Luz, não, sem dúvida, como seu Filho Jesus que é o sol de Justiça, mas como a doce aurora que o precede, como a lua que o recorda, como a estrela matutina que o anuncia, nomes graciosos que lhe dá a Igreja.

3. Culto do Santo Nome de Maria

A Igreja instituiu uma festa em honra do Santo Nome de Maria (12 de Setembro).
Na verdade, depois do de Jesus, o nome mais glorioso é o de nossa Mãe. Daí o costume frequente de impô-lo às crianças, na pia batismal, e aos religiosos na tomada de hábito.
Vários Institutos religiosos o escolheram como prova solene de seu amor para com sua excelsa Padroeira: por exemplo, na Idade Média, os Servitas de Maria e, mais recentemente, a Sociedade de Maria, o Instituto dos Pequenos Irmãos de Maria (Irmãos Maristas) e numerosas Congregações femininas.
Da mesma maneira, este nome venerando foi adotado por numerosas casa religiosas: escolas, hospitais, conventos. Citemos, entre milhares, todos os conventos de Trapistas: Nossa Senhora das Neves, Nossa Senhora d’Aiguebelle, Nossa Senhora de Sept-Fons, etc.

4. Virtude do nome de Maria

Como o nome de Jesus, o de Maria é:
1º. O terror de inferno. “O demônio, diz São Germano de Constantinopla, foge só ao ouvir o nome de Maria”.
2º. A força e o amparo dos que o invocam. Diz, por sua vez, o Venerável Padre Champagnat: “Oh! quanta virtude encerra o nome de Maria! Quão felizes somos por tê-lo adotado! Há muito tempo que não se falaria mais da nossa sociedade se não fora a proteção deste santo nome, deste nome milagroso!”
____________________
Nossa Senhora: Curso Médio de Catecismo Mariano. São Paulo: Livraria Francisco Alves Paulo de Azevedo & Cia, 1937, p.21-22.

Deixe uma resposta