A princesa e o príncipe; a “Maria” e seu “José”

05/11/2012 Namoro e Noivado 7 Comentários
Por Maria Bastos
 
É interessante como que a moça inspirada nos contos de fadas espera pelo seu príncipe encantado, enquanto que a moça inspirada pelos Evangelhos espera pelo seu José. Vocês devem conhecer essa expressão, ou pelo menos já ouviram antes, uma moça católica dizer que espera pelo seu “José”. Esse José é um homem virtuoso ao exemplo do Glorioso São José, esposo de Maria Santíssima, escolhido para ser pai adotivo do Filho de Deus. A moça cristã espera por esse homem justo, honesto, casto e trabalhador.
 
Vejamos agora algumas comparações.
 
O príncipe carrega consigo uma espada afiada para enfrentar os terríveis dragões e assim chegar heroicamente à sua princesa. Já o José carrega consigo um ramo espiritual de lírios brancos, que representa a sua pureza e castidade, é a sua arma contra o pecado, o mais terrível dos dragões. A arma do José é a virtude.
 
O príncipe encantado tem um fiel companheiro que o leva nas suas jornadas, é o seu cavalo, que na maioria dos contos é de cor branca. O José também tem o seu fiel companheiro, é o seu Anjo da Guarda, este também branco, mas da pureza divina.
 
A mocinha que sonha com seu príncipe deve ser como uma princesa que espera por ele, que aguarda pacientemente por sua chegada; a moça que espera seu José deve ser como Maria: santa, pura, silenciosa e virtuosa. Se num conto de fadas a princesa jogou seus cabelos para que o príncipe subisse até ela, a donzela cristã – como filha de Maria que é – deve jogar o seu Rosário para que a oração seja o elo de união entre os dois.
 
A princesa e o príncipe; a "Maria" e seu "José" - Desenho de Maria Bastos
 
Salve Maria Santíssima!
 

Nota: Texto publicado com autorização da autora. Obrigada, Maria Bastos!
Original publicado em Tirinhas da Maria.

Comentários ( 7 )

  • Amei esse texto da Maria e José.E a comparação das tranças com o terço foi lindo!
    Como mulher católica tem feito be em minha vida,realmente quando usava calças,não me sentia também como agora.Espero que outras mulheres também descubram a beleza de ser feminina e não sensual.

    • Olá, Sônia, Salve Maria!

      Que bom que você gostou do texto! A Maria Bastos realmente estava muito inspirada quando o escreveu!

      Também fico muito feliz em saber que o Mulher Católica tem feito bem em sua vida! Toda honra e glória a Nosso Senhor Jesus Cristo!!

      Fica com Deus!

  • Melissa, quanto tempo! Tudo bem? Ontem fui comprar umas saias e me lembrei de você. Em uma vez que você comentou sobre que hoje em dia está fácil encontrar saias. E está mesmo, ontem fui com uma amiga minha que é espírita (estou tentando convertê-la hehe) a comprar saias. Compramos umas lindas por 10,00 reais. Vou fazer um post daqui uns dias falando sobre dica de moda modesta, com modelos organizados por mim… =)

    Essa Maria Bastos tem umas charges muuuuito boas. Agora aquela que ela fez contando a história da menina que se converteu e começou a usar saia, daí a confundiram com protestante, ou freira. Bom, gosto dessa charge porque já acontceu comigo. Na verdade acredito que já aconteceu com muitas católicas tradicionais (pelo fato de usar saia), dado que o católico “pode se vestir de qualquer jeito”.

    Fica com Deus.
    Jaqueline

    • Oi, Jaqueline, tudo bom sim!

      Uau, saias a R$10,00 não é fácil de encontrar! que bom que achou e comprou!!! Faça um post com dicas de moda modesta sim! :)

      A Maria Bastos é muito inspirada nas charges que faz!! E as imagens têm uma contribuição muito boa, pois muitas vezes são mais evidentes que um texto!

      Ah, sim, já cansei de ser confundida com noviça quando eu era mais moça… todo mundo jurava de pé junto que eu ia entrar num convento rsrsrs…

      Beijos! Fica com Deus! Salve Maria!!

  • Oie gente. Eu sou católica e não vejo problemas em usar calça. Qual é o problema ? O que você veste deve ser decente é claro. Quero ser reconhecida como católica, como cristã pelas minhas ações, atitudes e não por usar ou não uma saia.

    • Olá, Juliene!

      Eu aconselho que você leia a Notificação concernente às mulheres que vestem roupas de homem, do Cardeal Siri. Na página Textos importantes há mais textos sobre o assunto da modéstia no vestir.

      É importante compreender que, embora o conjunto de ações e atitudes revelem muito de quem somos, as roupas não são menos importantes, porque são a primeira coisa percebida por quem olha, e por isto elas devem funcionar como um distintivo para o cristão. Da mesma forma que se reconhece um padre pela batina, um médico pelas roupas brancas, um religioso pelo hábito, assim também se reconhece um cristão pelas suas vestimentas. Uma veste colada, justa, reveladora, jamais pode ser considerada uma veste decente, e as calças compridas vendidas por aí são todas assim, especialmente as jeans, pois revelam a intimidade feminina, a virilha, os quadris, as coxas, o bumbum… Nem de longe as calças compridas que são vendidas nas lojas têm condições de serem chamadas de decentes, especialmente porque elas são fabricadas com o intuito de revelar o corpo da mulher, de dar-lhe sensualidade, e também de nivelar a aparência de ambos os sexos pelo modo de vestir. Não é à toa que surgiu a moda das calças “boyfriends”… Nós, católicas, precisamos nos diferenciar no modo de ser, de agir, e também no de vestir, porque não há como separar o interior do exterior, um é reflexo do outro. Porém, o Cardeal Siri vai muito mais longe nas suas observações, dizendo que as roupas masculinas afetam de um modo grave a mulher de três formas: 1) pela mudança da psicologia feminina própria da mulher; 2) como esposa do seu marido, por tender a viciar a relação entres os sexos; 3) como mãe de suas crianças, ferindo sua dignidade ante seus olhos. No texto que lhe indiquei ele faz todas as observações sobre estes três pontos. É importante que você o leia com atenção.

      Se houver dúvidas não hesite em me escrever. Coloco-me à disposição para ajudá-la no que estiver ao meu alcance.

      Um abraço! Salve Maria Imaculada!

Deixe uma resposta