Necessidade que temos da intercessão de Maria Santíssima para nossa salvação

Nossa Senhora das GraçasPor Santo Afonso Maria de Ligório
 
Gens et regnum, quod non servierit tibi, peribit ― «A gente e o reino que te não servir, perecerá» (Is 60, 12)
 
Sumário. Para a salvação a graça divina é indispensável. Verdade é que esta graça nos foi merecida por Jesus Cristo, o Medianeiro de justiça; mas dispensadora da graça é Maria Santíssima, por ser Mãe de Deus. É por isso que o demônio tanto esforço faz para arrancar da alma a devoção à Santa Virgem. O espírito maligno sabe que obstruído este canal das graças, tudo está perdido. Examinemo-nos, pois, se temos devoção verdadeira à divina Mãe, e descobrindo que nos temos relaxado, retomemos o nosso primeiro fervor.
 
I. Que a prática de invocar aos Santos, afim de nos alcançarem a divina graça, seja não somente lícita, mas também útil, é um ponto da fé. Entre os Santos, porém, que são amigos de Deus, e a Santíssima Virgem, que é sua verdadeira Mãe, há esta diferença, que a intercessão de Maria não é só utilíssima, mas também moralmente necessária, de modo que o Bem-aventurado Alberto Magno e São Boaventura chegam a afirmar que todos os que se descuidam da devoção a Nossa Senhora, não a servem, e consequentemente não são por ela protegidos, morrerão todos em pecado mortal e se condenarão: A gente que te não servir, perecerá. É esta, diz Soares, a opinião universal da Igreja.[1]
 
E com razão; porquanto, não sendo nós capazes de conceber um só bom pensamento em ordem à vida eterna, a graça divina nos é indispensável para a salvação. Verdade é que só Jesus Cristo nos mereceu esta graça, por ser Medianeiro de justiça. Mas, para nos inspirar mais confiança de obtermos a graça, e ao mesmo tempo para exaltar sua Mãe santíssima, Jesus a depositou nas mãos de Maria, e, constituindo-a medianeira de graça, decretou que nenhuma graça fosse dispensada aos homens sem que passasse pelas mãos de Maria.
 
Numa palavra, diz São Bernardo, Deus constituiu Nossa Senhora como que um aqueduto dos bens celestes que descem à terra, e determinou que por meio de Maria recebamos o Salvador que por seu intermédio nos foi dado na incarnação. Vede, pois, conclui o Santo, vede, ó homens, com que afeto de devoção quer o Senhor que honremos à nossa Rainha, refugiando-nos sempre a ela e confiando em seu patrocínio!
 
II. Assim como Holofernes, para conquistar a cidade de Betúlia, ordenou que se cortassem os aquedutos, também o demônio faz quanto pode, afim de que as almas percam a devoção à Mãe de Deus. Pela experiência o espírito maligno sabe que, tapado este canal das graças, depois fácil ou, antes, certamente consegue conquistá-las. Quantos cristãos estão agora no inferno por se terem deixado iludir assim. ― Nós, portanto, demos graças à divina Mãe, por nos ter tomado debaixo de seu santíssimo manto, como no-lo garantem as graças recebidas pela sua intercessão. Ao mesmo tempo, porém, examinemos se por ventura estamos resfriados na sua devoção, e renovemos nosso propósito de sermos para o futuro mais constantes.
 
Sim, eu vos dou graças, ó minha Mãe amorosíssima, por todos os bens que tendes feito a este desgraçado réu do inferno. Ó minha Rainha, de quantos perigos me tendes livrado! Quantas luzes e quantas misericórdias me tendes alcançado de Deus! Que grande bem, ou que grande honra recebestes de mim para vos empenhardes tanto a meu favor? Foi só a vossa bondade que a isso vos moveu. Ah! se eu pudesse dar por vosso amor o sangue e a vida, ainda seria pouco, à vista da obrigação que vos devo, pois que me livrastes da morte eterna e me fizestes recuperar, como espero, a graça divina; a vós sou devedor de toda a minha felicidade.
 
Senhora minha amabilíssima, eu, miserável, não tenho que vos dar senão os meus louvores e o meu amor. Ah, não desprezeis o afeto de um pobre pecador, abrasado em amor pela vossa bondade. Se o meu coração é indigno de vos amar, por estar imundo e cheio de afetos terrestres, vós o podeis mudar: mudai-o, pois. ― Ah, minha Senhora, prendei-me a meu deus, e prendei-me de tal modo que nunca mais possa separar-me de seu amor. Vós quereis que eu ame o vosso Deus; e eu quero que me alcanceis este amor; fazei que o ame sempre e nada mais deseje. (*I 75.)
 
—————
[1] Tom. 2 in 3 p., disp. 23, sect. 3.
 

Santo Afonso Maria de Ligório. Meditações: Para todos os Dias e Festas do Ano: Tomo Terceiro: desde a duodécima semana depois de Pentecostes até ao fim do ano eclesiástico. Friburgo: Herder & Cia, 1922, p.204-207.

Comentários ( 5 )

  • Olá Melissa, deixo claro que a minha pergunta não é de forma nenhuma provocação e sim com a intenção genuína e sincera de informação:

    Como é PRECISO a interseção de Maria? Aqui não discuto o fato de ser errado, certo ou proveitoso, mas necessário.

    Lendo a bíblia e sabendo que somos todos salvos por jesus, que é Deus, o que me intriga é como que iria faltar algo para quem pede diretamente à Deus, em nome de Jesus, que é o mais Santo de todos os Santos.
    Para quem obedece o evangelho do Senhor…Na bíblia mesmo fala que não faltará para aquele que pedir à Deus.

    • Olá, Dresscue! Salve Maria!

      Tive que liberar esse seu comentário manualmente, pois depois que troquei o template do blog, tive problemas em publicar alguns comentários que ficaram pendentes.

      Quero dizer que não me esqueci desta sua pergunta. Em breve vou publicar um artigo para responder às suas dúvidas.

      Beijos e fica com Deus! E me perdoe pela demora em respondê-la!

      Salve Maria Santíssima!!

    • Oi Melissa, agora que vi que o comentário saiu com o nome do blog e não meu :P A minha dúvida é essa mesma. Não tava achando qual a postagem que eu tinha comentado, aí não vi sua resposta. :)

      ps: Nem precisa pedir perdão pela demora né?! Que isso.

    • Oi, Cynthia! Então, na realidade eu tive que colocar seu comentário manualmente aqui de novo, talvez por isto você não o tenha recebido em seu email.

      Ah, fique tranquila pois eu recebi todos os seus comentários. Só demorei para liberá-los (nem sempre libero no mesmo dia…).

      Beijos!

  • Aos comentaristas anônimos: Não vou liberar seus comentários. Nós, católicos, NÃO ADORAMOS MARIA, aprendam isso de uma vez por todas. Se vocês estudassem o mínimo da doutrina católica saberiam disso e, quem sabe, se converteriam! Nossa Senhora, a Virgem Puríssima Mãe de Deus, é toda Pura, Santa e Imaculada! Parem de ofender Aquela que deu à luz ao Salvador do Mundo!!!

    Em breve vou fazer um artigo para que vocês parem de viver na ignorância, parem de ofender o Imaculado Coração de Maria Santíssima com tantas blasfêmias, conheçam a grandeza da Santa Mãe de Deus, e quem sabe possam se converter ao catolicismo e voltar à Igreja Católica, que é a ÚNICA E VERDADEIRA IGREJA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Pois assim está escrito: “E eu te declaro: Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do reino dos céus: Tudo o que ligares na terra, será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra, será desligado nos céus.” (Mt 16, 18-19).

    HIPOCRISIA E IGNORÂNCIA TEM LIMITE!
    NINGUÉM MALTRATA MINHA MÃE E MÃE DO MEU SENHOR!
    NÃO, AO MENOS, AQUI NESTE BLOG!!!

    Salve Maria Santíssima! Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo e minha amada Mãe do Céu!

Deixe uma resposta