São Pio X, rogai por nós!

São Pio XPor Melissa Bergonso
 
Hoje, 03 de Setembro, pelo calendário tridentino, comemoramos o dia de São Pio X. Este Papa escreveu, entre tantas coisas, a Encíclica Pascendi Dominici Gregis, que diz respeito às doutrinas modernistas. Todo católico deveria ler essa Encíclica, e quando lemos, é espantoso ver como o modernismo está infiltrado na Igreja de forma descarada, especialmente entre o clero. Diz São Pio X, no início do documento:
 
E o que exige que sem demora falemos, é antes de tudo que os fautores do erro já não devem ser procurados entre inimigos declarados; mas, o que é muito para sentir e recear, se ocultam no próprio seio da Igreja, tornando-se destarte tanto mais nocivos quanto menos percebidos.
 
Aludimos, Veneráveis Irmãos, a muitos membros do laicato católico e também, coisa ainda mais para lastimar, a não poucos do clero que, fingindo amor à Igreja e sem nenhum sólido conhecimento de filosofia e teologia, mas, embebidos antes das teorias envenenadas dos inimigos da Igreja, blasonam, postergando todo o comedimento, de reformadores da mesma Igreja; e cerrando ousadamente fileiras se atiram sobre tudo o que há de mais santo na obra de Cristo, sem pouparem sequer a mesma pessoa do divino Redentor que, com audácia sacrílega, rebaixam à craveira de um puro e simples homem.
 
Pasmem, embora homens de tal casta, que Nós os ponhamos no número dos inimigos da Igreja; não poderá porém, pasmar com razão quem quer que, postas de lado as intenções de que só Deus é juiz, se aplique a examinar as doutrinas e o modo de falar e de agir de que lançam eles mão. Não se afastará, portanto, da verdade quem os tiver como os mais perigosos inimigos da Igreja. Estes, em verdade, como dissemos, não já fora, mas dentro da Igreja, tramam seus perniciosos conselhos; e por isto, é por assim dizer nas próprias veias e entranhas dela que se acha o perigo, tanto mais ruinoso quanto mais intimamente eles a conhecem. Além de que, não sobre as ramagens e os brotos, mas sobre as mesmas raízes que são a Fé e suas fibras mais vitais, é que  meneiam eles o machado.
 
Batida pois esta raiz da imortalidade, continuam a derramar o vírus por toda a árvore, de sorte que coisa alguma poupam da verdade católica, nenhuma verdade há que não intentem contaminar. E ainda vão mais longe; pois pondo em obra o sem número de seus maléficos ardis, não há quem os vença em manhas e astúcias:  porquanto, fazem promiscuamente o papel ora de racionalistas, ora de católicos, e isto com tal dissimulação que arrastam sem dificuldade ao erro qualquer incauto; e sendo ousados como os que mais o são, não há consequências de que se amedrontem e que não aceitem com obstinação e sem escrúpulos. Acrescente-se-lhes ainda, coisa aptíssima para enganar o ânimo alheio, uma operosidade incansável, uma assídua e vigorosa aplicação a todo o ramo de estudos e, o mais das vezes, a fama de uma vida austera. Finalmente, e é isto o que faz desvanecer toda esperança de cura, pelas suas mesmas doutrinas são formadas numa escola de desprezo a toda autoridade e a todo freio; e, confiados em uma consciência falsa, persuadem-se de que é amor de verdade o que não passa de soberba e obstinação. Na verdade, por algum tempo esperamos reconduzi-los a melhores sentimentos e, para este fim, a princípio os tratamos com brandura, em seguida com severidade e, finalmente, bem a contragosto, servimo-nos de penas públicas.
 
[…]
 
E visto que os modernistas (tal é o nome com que vulgarmente e com razão são chamados) com astuciosíssimo engano costumam apresentar suas doutrinas não coordenadas e juntas como um todo, mas dispersas e como separadas umas das outras, afim de serem tidos por duvidosos e incertos, ao passo que de fato estão firmes e constantes, convém, Veneráveis Irmãos, primeiro exibirmos aqui as mesmas doutrinas em um só quadro, e mostrar-lhes o nexo com que formam entre si um só corpo, para depois indagarmos as causas dos erros e prescrevermos os remédios para debelar-lhes os efeitos perniciosos.
 
Qualquer semelhança com a crise de fé atual NÃO É mera coincidência!! O mais surpreendente é saber que São Pio X escreveu esse documento em 1907, ou seja, há 105 anos atrás!!! Então, católicos, é hora de acordar, pois ao lermos essa Encíclica vemos retratado, como num espelho, os tempos em que vivemos! Depois de lê-la, fica fácil reconhecer os lobos e os cordeiros, os maus sacerdotes e os bons sacerdotes, e todos aqueles que lutam contra a Igreja.
 
A Encíclica Pascendi Dominici Gregis está divida da seguinte forma:
 
INTRODUÇÃO
1ª PARTE: EXPOSIÇÃO DO SISTEMA E SUA DIVISÃO
O modernista filosófico
O modernista crente
O modernista teólogo
O modernista historiador e crítico
O modernista apologeta
O modernista reformador
Crítica geral de todo o sistema
2ª PARTE: AS CAUSAS DO MODERNISMO
3ª PARTE: REMÉDIOS
CONCLUSÃO
 
Alguém (desavisado ou amortecido pelos erros difundidos hoje em dia) pode se perguntar: “onde está o modernismo na Igreja”? Bom, não é difícil apontar alguns “exemplos”: Missa Sertaneja, Missa Crioula, Missa do Coco, Missa do Congo, Culto Ecumênico, instrumentos percussivos entre outros proibidos dentro da Igreja (bateria, chocalho, pandeiro, guitarra elétrica, violão, etc.), homilias com fantoches, teatros, danças… Semelhanças com o protestantismo também não é mera coincidência!
 
Enfim, povo católico, procurem ler a Encíclica Pascendi Dominici Gregis. Nós não podemos continuar amortecidos e ignorantes, achando que tudo é normal, fruto da modernidade e de uma suposta “evolução” das coisas. A Igreja não muda, a doutrina Católica não muda, Jesus Cristo não muda! É um absurdo o que fazem hoje no intuito de “atrair” mais pessoas para a Igreja. Não precisamos de quantidade, precisamos de qualidade! Precisamos de católicos que sejam de fato católicos, que amem a Igreja de Nosso Senhor e que lutem pelo Reinado Social de Nosso Senhor Jesus Cristo, sem medo e sem subterfúgios mundanos!
 
São Pio X, rogai por nós!

Comentários ( 2 )

  • Grande São Pio X! A Encìclica Pascendi é realmente atualíssima. E mesmo com advertências tão claras sobre o perigo do modermismo ele se infiltrou de tal maneira na Igreja que se não fosse a promessa de Nosso Senhor de que as portas do inferno nunca prevalecerão seria difícil esperar tempos de bonança em meio a essa crise de fé. Querem a todo custo, após o CVII, que a Igreja se adapte aos tempos modernos, quando na verdade o mundo é que deve se adaptar à doutrina imutável de Nosso Senhor. Imaculado Coração de Maria, sede a nossa salvação!

    • Oi, Laura, Salve Maria!

      Pois é! Hoje se quer a todo custo adaptar a doutrina da Igreja ao mundo, mas deve ser exatamente o contrário, pois a doutrina Católica não muda assim como Deus não muda! Hoje vemos verdadeiros sacrilégios acontecendo na Igreja em nome de uma “adaptação aos tempos modernos”! É um absurdo!!

      Que São Pio X possa interceder por nós e por estes tempos em que vivemos, pois não está fácil lutar contra os inimigos da Igreja!

      Fica com Deus!!

Os comentários estão fechados.