Exaltação da Santa Cruz (14 de Setembro)

Relíquia da Santa CruzA festa de hoje teve primeiramente por objeto único a descoberta da Santa Cruz, levada a efeito por Santa Helena, e a dedicação das basílicas constantinianas, consagradas no dia 14 de Setembro de 335. Mais tarde porém, a memória de outro acontecimento veio a tomar o lugar dos que referimos, e foi a restituição da Santa Cruz feita pelos persas em 629. Com efeito, em 615, Cósroas, rei dos persas, apoderava-se de Jerusalém e da Relíquia de Vera Cruz. Quatorze anos mais tarde, o imperador Heráclio derrotou Cósroas e exigiu dele a entrega da preciosa relíquia. Entretanto em Jerusalém, quis levar ele mesmo a Santa Cruz com grande pompa real para a repor no Calvário. Caminhava coberto de ouro e pedrarias com a Cruz do Senhor às costas, quando, de repente, às portas da cidade que dão para o Calvário, se sentiu preso por uma força invisível que o não deixou prosseguir. Zacarias, Bispo de Jerusalém e testemunha presencial do fato, advertiu então: «Com essas vestes, estais longe de imitar a pobreza de Jesus Cristo e a humildade com que levou a Cruz». Heráclito despojou-se então das vestes riquíssimas que envergava, descalçou-se, cobriu-se com um manto ordinário e pôde sem dificuldade levar a Santa Cruz até o Calvário. A morte do Senhor na cruz foi simultaneamente o seu triunfo e sacrifício. Ele o predissera na véspera da Paixão: «É agora que o príncipe deste mundo vai ser lançado fora: e quando eu Me elevar da Terra, tudo atrairei a Mim». São Paulo constata-o por seu lado ao salientar que a exaltação de Cristo assenta no sofrimento e tira para nós a consequência: «Devemos gloriar-nos na Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo». Unamo-nos em espírito com os fiéis que na basílica de Santa Cruz de Jerusalém em Roma, veneram hoje as relíquias da Santa Cruz, em que se operou o mistério da redenção dos homens.
 
1ª Vésperas da Missa da Festa da Exaltação da Santa Cruz:
 
Introito (Gal 6, 14): Nós, porém, devemo-nos gloriar na Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, de Quem nos vem a salvação, a vida e a ressurreição; por Quem fomos salvos e livres. Que o Senhor tenha compaixão de nós e nos abençoe. Que nos ilumine com a Sua face e se compadeça de nós. Glória ao Pai.
 
Oratio: Ó Deus, que hoje nos alegrais com a anual solenidade da Santa Cruz, fazei que, venerando na Terra o seu mistério, mereçamos alcançar no Céu o prêmio da redenção que nela se operou. Pelo mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo.
 
Graduale (Fil 2, 8-9): Cristo fez-se obediente por nós até à morte e morte de cruz. E foi por isso que Deus O exaltou e Lhe deu um nome acima de todo o nome.
 
Aleluia: Ó bendito lenho e benditos cravos que tão suave peso sustentastes, só vós fostes dignos de sustentar o Rei e Senhor dos Céus. Aleluia.
 
*Sim, meu Senhor, diz São Leão, Vós arrebatastes tudo a Vós, logo que o universo inteiro, ao ver que pelo dia todo de balde estendias as mãos a um povo incrédulo e ingrato, compreendeu que se devia aproximar e render homenagem à Vossa majestade*.
 
Evangelii: Ler João 12, 31-36.
 
Offertorium: Protegei, Senhor, o vosso povo como sinal da Santa Cruz e defendei-o das ciladas do inimigo, a fim de que Vos seja grato o nosso ministério e aceite o nosso sacrifício. Aleluia.
 
Secreta: Devendo alimentar-nos com o corpo e sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, que santificou o estandarte da Cruz, nós Vos suplicamos, Senhor e nosso Deus, que, havendo merecido adorá-la na Terra, alcancemos no Céu os frutos da sua redenção. Pelo mesmo Nosso Senhor.
 
Communio: Pelo sinal da Cruz defendei-nos de todos os inimigos, Senhor.
 
Postcommunio: Sede conosco, Senhor e nosso Deus, e defendei-nos com o auxílio da Santa Cruz, à qual com alegria vimos tributar as honras que merece. Por Nosso Senhor.
 
Relíquias da Basílica de Santa Cruz em Roma
 
—————
Missal Quotidiano e Vesperal: por Dom Gaspar Lefebvre. Bruges, 1951, p. 1614-1616.