Helicópteros de Pentecostes

Hoje trago algo divertido para ensinar às crianças sobre Pentecostes, e nada mais proveitoso do que ensiná-las brincando, não é verdade? Antes fazer os helicópteros “voarem”, é importante ler o texto da Sagrada Escritura, Atos dos Apóstolos, capítulo 2, versículos de 1 a 21, e também explicar sobre os dons do Espírito Santo para as crianças, realizando um tipo de “catequese informal”. Desta forma, na hora da brincadeira, elas fixarão melhor aquilo que foi lido e ensinado.

Clique na imagem ao lado para que ela abra em outra janela em tamanho maior ou salve-a diretamente em seu computador e depois imprima.

Estes helicópteros são muito fáceis de serem feitos. Eu testei em casa e funciona rsrs… Para confeccioná-los, serão necessários os seguintes materiais:

– Papel (para imprimir os desenhos);
– Lápis de cor ou tinta atóxica para colorir;
– Tesoura sem ponta;
– Clipe para papel.

Instruções para a montagem:
– Recorte os dois “helicópteros”;
– Pinte as figuras e copie o desenho também na parte de trás;
– Corte no local indicado, divida as duas “hélices” dobrando uma para frente e outra para trás, nas linhas pontilhadas;
– Fixe o clipe para papel na parte de baixo de cada modelo.
Quando soltos no ar, eles devem girar à medida que descem.
O modelo foi tirado deste site.

Espero que tenham gostado! A seguir está o trecho dos Atos dos Apóstolos para leitura, antes de fazer a brincadeira com as crianças.
Fiquem com Deus.
Em Cristo, no amor de Maria Santíssima,
Melissa Bergonso

==*=*=*==
Vinda do Espírito Santo (At 2, 1-21)

Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e enchei toda a casa onde estavam sentados. Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo, que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.
Achavam-se então em Jerusalém judeus piedosos de todas as nações que há debaixo do céu. Ouvindo aquele ruído, reuniu-se muita gente e maravilhava-se de que cada um os ouvia falar na sua própria língua. Profundamente impressionados, manifestavam a sua admiração: “Não são, porventura, galileus todos estes que falam? Como então todos nós os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna? Partos, medos, elamitas; os que habitam a Mesopotâmia, a Judeia, a Capadócia, o Ponto, a Ásia, a Frígia, a Panfília, o Egito e as províncias da Líbia próximas a Cirene; peregrinos romanos, judeus ou prosélitos, cretenses e árabes; ouvimo-los publicar em nossas línguas as maravilhas de Deus!” Estavam, pois, todos atônitos e, sem saber o que pensar, perguntavam uns aos outros: “Que significam estas coisas?” Outros, porém, escarnecendo, diziam: “Estão todos embriagados de vinho doce.”
Pedro então, pondo-se de pé em companhia dos Onze, com voz forte lhes disse:
“Homens da Judeia e vós todos que habitais em Jerusalém: seja-vos isto conhecido e prestai atenção às minhas palavras. Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, visto não ser ainda a hora terceira do dia. Mas cumpre-se o que foi dito pelo profeta Joel: Acontecerá, nos últimos dias — é Deus quem fala —, derramarei do meu Espírito sobre todo ser vivo: profetizarão os vossos filhos e vossas filhas. Os vossos jovens terão visões, e os vossos anciãos sonharão. Sobre os meus servos e sobre as minhas servas derramarei naqueles dias do meu Espírito e profetizarão. Farei aparecer prodígios em cima, no céu, e milagres embaixo, na terra: sangue, fogo e vapor de fumaça. O sol se converterá em trevas e a lua em sangue, antes que venha o grande e glorioso dia do Senhor. E então, todo o que invocar o nome do Senhor será salvo (Jl 3, 1-5).