Oferecimento do coração a Maria Santíssima

Por Santo Afonso Maria de Ligório
 
NOSSA SENHORA RAINHA Praebe, fili mi, cor tuum mihi, et oculi tui vias meas custodiant ― «Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos guardem os meus caminhos» (Prov 23, 26)
 
Sumário. A mais bela homenagem que podemos tributar a Maria Santíssima no encerramento do mês de Maio é oferecer-lhe o nosso coração, isto é, desfazer-nos da nossa vontade própria para a consagrar inteiramente e sem reserva ao seu serviço. Tal oferecimento, porém, para ser agradável à Mãe de Deus e nos merecer a sua proteção especial, não deve ser só de palavras, mas ser efetivo pelos atos. Como se poderá dizer que pertence à Santíssima Virgem o coração que está na sonolência contínua da tibieza e talvez na morte do pecado?
 
I. A mais bela homenagem que podemos tributar a Maria, no encerramento do mês de Maio, é o oferecimento do nosso coração, isto é, a renúncia da nossa vontade própria, afim de consagrá-la inteiramente e sem reserva ao seu serviço. ― Quando damos à Santíssima Virgem os nossos bens pelas esmolas, o sustento pelo jejum, o sangue pela disciplina, damos coisas nossas; mas quando lhe fazemos o oferecimento da nossa vontade, damos-lhe o que somos; porque lhe entregamos a faculdade que, qual rainha, tem sob o seu domínio e ao seu mando todos os sentidos do corpo e as demais faculdades da alma. Pelo que o devoto que oferece a Maria o coração, pode em verdade dizer-lhe: Senhora, tendo-vos dado a minha vontade, nada mais tenho para vos dar.
 
Para que tal oferecimento seja agradável à Mãe de Deus e nos mereça a sua proteção especial, não deve ser só de palavras, mas efetivo pelas obras. Quem, portanto, oferece o coração a Maria, deve, antes de mais nada, fazer desta excelsa Virgem, depois de Deus, o principal objeto do seu amor, e provar isso visivelmente, venerando-a cada dia com obséquios especiais, deve ter continuamente o seu belo nome nos lábios, e empenhar-se por todos os modos para aumentar em si próprio e em outros a devoção para com ela.
 
Quem faz a Maria a oferta do coração, deve em segundo lugar tomar a excelsa Virgem por modelo, procurando imitar-lhe as virtudes, especialmente a pureza, a paciência, o amor a Deus e ao próximo. Diz um provérbio que, quem ama, já é semelhante à pessoa amada ou procura sê-lo.
 
Quem oferece o coração a Maria, deve em terceiro lugar, ter a Santa Virgem por seu perpétuo refúgio, implorando-a em todas as necessidades, e, qual criança, recorrer em qualquer perigo à sua Mãe.
 
Sobretudo, quem faz o oferecimento do coração a Maria, deve, depois de tão sublime doação, guardá-lo como um depósito sagrado, evitando não somente profaná-lo pelo pecado mortal, mas também manchá-lo com pecados veniais, que, assim como ofendem a Jesus Cristo, desagradam à divina Mãe.
 
II. Toma hoje a grinalda que, no correr do mês de Maio, teceste com as orações e outros obséquios a Nossa Senhora, põe no meio dela o teu coração purificado pela confissão sacramental e deposita-o aos pés da Santíssima Virgem. Roga-lhe que, se ela prevê que um dia o profanarás pelo pecado, te deixe morrer hoje mesmo depois da tua comunhão. ― Afim de que a tua oferta seja mais agradável ainda à Mãe de Deus, faze-a pelas mãos do seu grande servo e teu protetor Santo Afonso.
 
Santíssima Virgem, Mãe de Deus, eu, pecador indigníssimo, prostrado aos vossos pés, na presença de Deus todo-poderoso e de toda a corte celestial, apresento-vos e ofereço-vos o meu coração com todos os seus afetos; eu vo-lo consagro e quero que seja sempre vosso e do vosso querido Jesus.
 
Aceitai, ó Mãe clementíssima, a devota oferta que vos faz o vosso pobre servo em união com os corações de todos os Santos, e fazei com que eu hoje mesmo comece e depois continue a viver unicamente para vós e para o vosso divino Filho, meu Deus. Com o seu auxílio e com a vossa amorosa assistência, espero executá-lo, e da minha parte vo-lo prometo. ― Ó Jesus e Maria, ponde o meu pobre coração entre os vossos, para que se abrase todo no vosso puro amor; e, depois de uma vida toda consumida pelo fogo do amor, possa arder de amor eterno, lá, nas alturas celestiais, em companhia dos Anjos e Santos. Assim seja.
 
—————
LIGÓRIO, Afonso Maria de. Meditações: Para todos os Dias e Festas do Ano: Tomo Segundo: Desde o Domingo da Páscoa até a Undécima Semana depois de Pentecostes inclusive. Friburgo: Herder & Cia, 1921, p. 336-338.

Comentários ( 2 )

  • Ola amigos-as que a garaça de Deus eo amor de Maria esteja com todos.
    Como é maravilhoso engrandecer nome da nossa querida mamãe que ganhamos aos pes da cruz de seu filho. Vale a pena ser catolico pois temos uma mãe e que mãe né? Fiquem com Deus e a proteção de Maria, SALVE MARIA!…

    • É uma grande graça e bondade de Deus sermos católicos!! Quantos irmãos, enganados pelo protestantismo, estão afastados da Verdadeira Igreja de Nosso Senhor, a Santa Igreja Católica? Que Deus nos conserve firmes e perseverantes na Fé para que um dia possamos, juntos, louvá-Lo na glória celeste!

      Salve Maria Imaculada!!

Deixe uma resposta