Cuidado com a calça jeans!

Cuidado com a calça jeans, ela tem deformado o corpo dos jovens adolescentes”. Esta afirmação é feita pelo Cirurgião Plástico, Dr. Raul Gonzalez, um dos mais experientes cirurgiões de Remodelagem Glútea e de Próteses Corporais do país.
 
Continuem lendo a reportagem no blog Teus Vestidos, da Luciana Lachance. Acessem:
 
 
Se contra a moral católica reclamam, contra fatos científicos talvez parem e pensem…
 
Em Cristo, no amor de Maria Santíssima,
Melissa Bergonso
 

Comentários ( 9 )

  • =S

    Que coisa bizarra…

    Mas tem que ser muito louco e inconseqüente para se usar roupa apertada desse jeito..; xP

  • Eu tenho um texto, o “Um remédio chamado saias” está por aqui,tenho que achar! O médico me recomendou que eu usasse mais saias para o bem da minha saúde,dá pra acreditar?! Muito legal.

  • Dona Melissa, permita-me:

    “Louco é pouco. Isso é que é ser escravo da moda!”

    Quem usa um vestido ou saia não o faz com um modelito dos anos 40.
    Usa-se um modelo atual, ou seja, em termos menos pejorativo, da “MODA”.
    A moda é tão somente um termo para qualificar a roupa que seja de tendencia cotidiana.
    O erro não esta na MODA em sí.
    O erro esta no que se veste.
    Muitos assossiam o termo MODA com roupas bizarras, escandalosas e vulgares.
    Isso é errado.
    Cocco Chanel que foi a mais brilhante estilista de todos os tempos criou ótimas peças femininas.
    E outras, digamos “imodestas”
    A mulher pode usar Chanel para ir a uma missa que não fará feio.
    Depende do modelo que escolher para cada ocasião.

    Grato.
    Olegario

  • Prezado Olegário, Salve Maria.

    A palavra “moda” significa, entre algumas coisas, uso corrente e forma atual do vestuário. Foi neste sentido que eu disse que “Louco é pouco. Isso é que ser escravo da moda!”. É inegável que o que está em voga hoje são os estilos de roupas super-sexies, provocantes e sensuais, como calças colantes, decotes reveladores, saias e vestidos de micro-comprimento e super-justos, enfim… não é difícil ver esse tipo roupa em vitrines de lojas hoje em dia.

    Não duvido que existam estilistas que desenham roupas modestas de vez em quando, mas a proporção da criação de roupas modestas em comparação com a criação de roupas sensuais é mínima, ou seja, quase não se fabricam roupas dignas para uma mulher cristã, sem contar que muitas vezes as raras “peças modestas” não têm preços acessíveis. Não é à toa que a maioria das moças e mulheres que buscam trilhar o caminho da modéstia estão aprendendo a costurar (ou procurando costureira) para fazerem roupas adequadas a uma mulher católica que quer guardar seu pudor e seu recato sem ter de gastar todo o salário do mês comprando um modelito “Chanel”. Aliás, interessante é essa frase sobre ela: “Os chapéus, o look masculino, as roupas confortáveis e o famoso “pretinho básico”, tudo recendendo ao perfume Chanel no 5, lançado em 1922, a tinham consagrado”. Mais partes da vida dela, inclusive sua simpatia pelo nazismo, podem ser lidos aqui. Sinceramente, depois de ler esse artigo que acabei de citar, eu não compraria um modelito sequer dela, nem que custasse um centavo apenas.

    Eu gosto muito da alocução de Pio XII sobre os Problemas Morais nos Estilos da Moda, pois ele fala de forma bem clara e objetiva. O senhor pode lê-la aqui.

    Fica com Deus.

  • Dona Melissa,

    Com sua licença, permita-me a tréplica:

    Citei Coco Chanel apenas como uma referencia de moda. E só.
    Não esta em discussão a vida pegressa da estilista nem a sua ideologia.
    Conheço bem a biografia de Coco, como sei a da D&G, Versaci etc…porque estive por alguns anos de minha vida ligado a moda.
    Obviamente que para vestir uma peça do estilista tinha que ter no mínino um pouco de conhecimento de sua biografia.
    Coco não foi só isso o que a Sra. disse não…
    Foi muito mais.
    Foi feminista ao extremo.
    O que é péssimo!
    Alguem que seja uma boa católica deve comprar roupa na C&A?
    Não!!
    Esse magazine patrocina a Gisele B. que é uma abortista confessa!
    Se formos por em prática o que devemos consumir sem colocar em risco nossa fé católica, sobra pouco ou quase nada.
    Se analisarmos antes a vida do fabricante, aí o caldo entorna…
    Concordo com a Sra. quando diz que que as roupas hoje são sexy.
    Está certo.
    E isso é uma tendencia mundial.
    Vai piorar muito…
    Discordo quando a Sra. diz que devemos dispor ” de um salário para comprar um modelito Chanel”
    Existe um diferença gritante entre a pessoa usar um MODELITO Chanel e VESTIR uma grife Chanel.
    A Sra. mesmo, agora, pode estar usando um modelito Chanel…
    E sem saber.
    Percebe a diferença?
    Forte abraço.

    Olegario.

  • Prezado Olegário, Salve Maria.

    Quanto à palavra “modelito”, obrigada pela correção, pois equivoquei-me no uso da palavra. O que eu queria realmente dizer era com relação à grife, porém utilizei a palavra errada.

    Sobre por em prática o que a gente pode ou não consumir sem colocar em risco a nossa fé católica, existem pessoas que levam isso muito a sério, inclusive com relação a vacinas feitas com material de bebês abortados. Os católicos tradicionais dos EUA, por exemplo, não vacinam suas crianças com vacinas dessa origem.

    Enfim, é difícil ser católico e é muito mais difícil ainda tomar decisões por causa da nossa fé.

    Fica com Deus.

  • Dona Melissa, Salve Maria.

    Muito obrigado pela acolhida e a publicação dos meus comentários.
    Nunca visei e nem quero afrontá-la com minhas participações por aqui.
    Se eu puder contribuir de alguma forma, mesmo que seja mínina, fico feliz.
    Diz uma máxima:

    “Muitas vezes para se fazer o que é certo há que se ver quem faz o errado”.

    Pois bem, mesmo eu errando muitas vezes ( nos comentários) a Sra. pode refutar os erros e ensinar aos seus leitores o que é certo.

    Admiro vosso trabalho e de todos as pessoas que se propõe a construir um espaço na web para falar sobre doutrina da Igreja.

    Eu, como não tenho capacidade para isso, apenas participo comentando.
    E rezo por todos.

    Deus a abençoe.
    Olegario.

  • Sr. Olegário, fico feliz com a participação de meus leitores nos comentários do blog. Obrigada pela contribuição e pela visita. Salve Maria!

Os comentários estão fechados.