Do Batismo: § 3º. Rito do Batismo e disposições de quem o recebe já adulto

02/12/2010 Batismo | Sacramentos Nenhum comentário
Por São Pio X

556. Como se batiza?

Batiza-se derramando água sobre a cabeça do batizando, ou, não podendo ser sobre a cabeça, sobre qualquer outra parte principal do corpo, e dizendo ao mesmo tempo: Eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
557. Se alguém derramasse a água e outro proferisse as palavras, a pessoa ficaria batizada?
Se alguém derramasse a água, e outro proferisse as palavras, a pessoa não ficaria batizada; é necessário que seja a mesma pessoa que derrame a água e pronuncie as palavras.

558. Quando não se tem certeza de que uma pessoa está viva ou morta, deve-se deixar de batizá-la?
Quando não se tem certeza de que uma pessoa está viva ou morta, deve-se batizá-la sob condição, dizendo: Se estás vivo, eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
559. Quando se devem levar à Igreja as crianças para ser batizadas?
As crianças devem ser levadas à Igreja para ser batizadas o mais cedo possível.
560. Por que se deve ter tanta presteza em levar as crianças ao Batismo?
Deve-se ter suma presteza em levar a batizar as crianças porque elas, pela sua tenra idade, estão expostas a muitos perigos de morrer, e não podem salvar-se sem o Batismo.
561. Pecam então os pais e as mães que, pela sua negligência, deixam morrer os filhos sem Batismo ou simplesmente demoram em fazê-lo?
Sim, os pais e as mães que pela sua negligência deixam morrer os filhos sem Batismo pecam gravemente, porque os privam da vida eterna; e pecam também gravemente se postergam por muito tempo o Batismo, porque os expõem ao perigo de morrer sem o terem recebido.
562. Quando o que se batiza é adulto, que disposições deve ter?
O adulto que se batiza deve ter, além da fé, a dor, ainda que imperfeita, dos pecados mortais que tenha cometido.
563. Se um adulto se batizasse em pecado mortal, sem esta dor, que receberia?
Se um adulto se batizasse em pecado mortal, sem esta dor, receberia o caráter do Batismo, mas não a remissão dos pecados nem a graça santificante; e estes efeitos ficariam suspensos, enquanto não fosse removido o impedimento pela dor perfeita dos pecados ou pelo Sacramento da Penitência.
—————
São Pio X. Terceiro Catecismo da Doutrina Cristã: Catecismo Maior de São Pio X. Edições Santo Tomás, 2005, p. 145-147.

Deixe uma resposta