Comportamento Católico na Missa

18/10/2010 Comportamento Católico 22 Comentários

Por Melissa Bergonso

Missa Versus DeumTalvez poucas pessoas se perguntam como devem vestir-se para irem à Missa. Muito menos pessoas ainda se perguntam como devem portar-se dentro da Igreja e durante a Santa Missa. O que a maioria das pessoas não levam em conta é que saber sobre isso e ter consciência de pequenos detalhes de comportamento e vestimenta na Igreja e na Missa torna-se imprescindível para quem deseja ser bom católico, agradar a Deus e dar bom exemplo.

Para entendermos o “porquê” da modéstia e do bom comportamento na Igreja e na Missa, precisamos entender o que é o Santo Sacrifício da Missa. Recapitulando rapidamente com a definição de São Pio X: “A Santa Missa é o sacrifício do Corpo e do Sangue de Jesus Cristo, oferecido sobre os nossos altares, debaixo das espécies de pão e de vinho, em memória do sacrifício da Cruz”.[1]

Modo de assistir à Missa

O Catecismo de São Pio X[2]  ensina que:

Para ouvir bem e com fruto a Santa Missa, são necessárias duas coisas: 1ª. modéstia exterior; 2ª. devoção interior.

A modéstia exterior consiste particularmente em estar modestamente vestido, em observar o silêncio e o recolhimento, e em estar, quanto possível, de joelhos, excetuando o tempo dos dois evangelhos, que se ouvem estando de pé.

O melhor modo de praticar a devoção interior ao ouvir a Santa Missa abarca o seguinte:

1º. Unir, desde o começo, a própria intenção à do sacerdote, oferecendo a Deus o Santo Sacrifício para os fins por que foi instituído;

2º. Acompanhar o sacerdote em cada uma das orações e ações do Sacrifício;

3º. Meditar a Paixão e Morte de Jesus Cristo e detestar, de todo o coração, os pecados que Lhe deram causa;

4ª. A comunhão sacramental, ou ao menos a espiritual, ao tempo em que o sacerdote comunga.

Comportamento na Missa

Um assunto que não é muito abordado é o comportamento de um católico durante a Santa Missa. A maioria das pessoas entram na Igreja e mal fazem o sinal da cruz, outras ainda muito menos se importam em como estão se portando dentro da Igreja e durante o Santo Sacrifício do Altar. Não adianta alguém estar modestamente vestido e estar se comportando com indiferença e com desrespeito para com Nosso Senhor.

Primeiramente devemos ter em mente que, como disse Padre Pio de Pietrelcina[3] , devemos assistir a Santa Missa “como assistiram a Santíssima Virgem e as piedosas mulheres. Como assistiu São João Evangelista ao Sacrifício Eucarístico e ao Sacrifício cruento da Cruz”.

Em segundo lugar, mesmo estando modestamente vestidos na igreja, não devemos ficar de qualquer jeito ao assistir à Santa Missa, pois nosso comportamento deve remeter à piedade cristã.

A Santa Missa exige três posições dos fiéis: 1º. de joelhos; 2º. em pé; 3º. sentada. As três posições nos exigem posturas distintas, porém que denotem discrição, modéstia e recolhimento.

Na posição de joelhos, devemos manter o máximo possível a cabeça baixa, em sinal de recolhimento e oração, e olharmos para Nosso Senhor no momento da elevação da Hóstia e do Cálice Consagrados. Devemos também manter as mãos postas, piedosamente. Podemos também acompanhar os gestos e movimentos do Sacerdote para uma melhor apreciação e participação interior da Divina Liturgia.

Na posição em pé, não devemos ficar com os braços cruzados ou com as mãos abanando. Ao contrário, devemos deixá-las sempre juntas, se possível postas, em sinal de piedade, recato e oração.

Na posição sentada, não devemos cruzar as pernas, nem balançá-las para lá e para cá e nem mexê-las constantemente. Digo isso tanto para homens quanto para mulheres, mas mais especialmente para as mulheres. Perna cruzada na Igreja denota falta de respeito para com Deus e para com o próximo; perna cruzada feminina chama a atenção masculina. Mexer as pernas constantemente atrapalha a concentração da pessoa que está do seu lado e sua própria concentração, além de denotar inquietude interior. Estando sentados, devemos deixar as pernas juntas em sinal de recato e recolhimento.

Em qualquer das três posições, devemos evitar nos mexermos demais, pois isso denota inquietude e incapacidade de recolhimento interior. Temos que cuidar para que nossa postura inspire piedade e devoção aos outros. Devemos ter em mente que nós devemos sempre nos esmerar para dar bom exemplo e nos esforçar para agradarmos sempre a Deus.

O modo de ser e agir de um católico deve servir de testemunho e de exemplo de vida para as pessoas, sendo dentro da Igreja, sendo durante a Santa Missa ou até mesmo em outros lugares. Não são somente as vestes que fazem de alguém bom ou mau católico, mas todo um conjunto de práticas interiores e exteriores. Se “a boca fala daquilo que o coração está cheio” (Lc 6, 45) podemos dizer também que o exterior reflete aquilo que contém em seu interior. Portanto, devemos zelar e contribuir para que nosso exterior cresça na mesma medida e proporção que nosso interior, seja no modo de nos vestir, no modo de falar, no modo de agir e de nos portar. Que em todos os gestos, atitudes e palavras possamos agradar a Deus e ser como a Santíssima Virgem Maria: modesta em pensamentos, vestimentas, palavras e comportamento. “À exemplo da Virgem Santíssima, por amor a Jesus Cristo!”

Gostaria de indicar, para finalizar, um ótimo post: Comportamento na Santa Missa e Depois. Este texto é de uma carta do Santo Padre Pio a Annita Rodote e foi traduzido pela Andrea Patrícia, dona do blog Maria Rosa.

Que Deus nos dê forças para termos e lutarmos por uma vida santa!

—————

[1] São Pio X. Terceiro Catecismo da Doutrina Cristã: Catecismo Maior de São Pio X. Edições Santo Tomás, 2005, p. 164-165.

[2] São Pio X. Terceiro Catecismo da Doutrina Cristã: Catecismo Maior de São Pio X. Edições Santo Tomás, 2005, p. 166-167.

[3] A Missa do Padre Pio. Disponível em Capela.org.


Comentários ( 22 )

  • Olá!
    Eu vi hoje o debate que a sra. travou com a Teresa no deuslovult pela defesa do modelo de família tradicional. Parabéns! Ao mesmo tempo, aconselho-a, se me permite, a não perder tempo nessas discussões, que na minha avaliação, são inuteis. É mais fácil a sra. ser contaminada pelo espírito liberal de seu opositor, do que convencê-lo da verdade. Não que os debates sejam inúteis em si, eles podem iluminar àqueles que não participaram ativamente, mas apenas leram o seu conteudo, além de manifestar a doutrina tradicional da Igreja, que jamais deve ser obscurecida por espirito tradicional e rebelde. Mas ao mesmo tempo, há os conselhos do apóstolo das gentes, p/ que nos abstenhamos de conversas inúteis, além dos provérbios que nos ensina que corrigir quem não quer se emendar é ofender a si próprio. Perdoe-me não fazer as citações corretas… estou com preguiça em pesquisar. Mas hoje, muitos preferem o ouro refinado, ou seja, essas ditas conquistas sociais, ao fruto da Sabedoria. E quando se trata desse liberalismo feminino, então é repugnante. Você manifestou a doutrina tradicional da Igreja, na sua primeira intervenção… nem precisava de mais… perdoe-me o comentário que não corresponde ao seu texto.

  • Cada um tem sua opinião, mas por questão de justiça, n teve só a intervenção da Melissa -que foram poucas – que foi boa naquele, digamos, show de feminismo e liberalismo.

    Teve muita, muita gente postando lá que arrebentou!

  • Olá, Pedro Henrique, Salve Maria!

    Obrigada por suas palavras. Não se preocupe, já faz algum tempo que me afastei de tais discussões, porque realmente são perda de tempo. Em qualquer conversa, real ou virtual, o respeito deve imperar, ainda mais entre católicos, e lá perdeu-se o respeito e até a noção real do que estávamos discutindo. E também, vida virtual tem limite. A vida real é muito mais significativa e fala muito mais do que “cinquenta mil caracteres”.

    Enfim, espero que o pouco que escrevi possa ter ajudado alguma alma que por lá passou e leu os comentários. O mundo pode até “evoluir”, mas certos princípios nunca mudam e, infelizmente, certas pessoas não conseguem compreender isso. Felizmente, temos um modelo perfeito de família tradicional, que é incontestável em todos os sentidos e papéis: A Sagrada Família.

  • Nisso a Ana tem razão, teve muito mais gente que discutiu lá além de mim. Enfim, espero que nossos comentários acerca do modelo de família tradicional não tenham sido em vão.

  • Olá, Rick, Salve Maria!

    Vi o vídeo. É um absurdo o que acontece hoje em dia. Isso é abuso e pura profanação!! Jesus lá no Sacrário e todo mundo “rebolando” na Igreja, inclusive o sacerdote, é de chorar. Isso deveria ser denunciado a Roma. Missa, não é festa, é Sacrifício! Será que esse povo nunca se deu conta de que Jesus a caminho do Calvário e no Sacrifício da Cruz estava sendo açoitado, padecendo, blasfemado, sangrando, e morreu de uma morte vergonhosa da qual não era merecedor?? Eles dançam como os demônios dançavam… isso é diabólico, é deboche a Nosso Senhor Crucificado. Tá mais do que provado que essa RCC é uma erva daninha na Igreja Católica. Realmente, devoção interior com esse tipo de Missa do vídeo que você colocou aí é impossível!

    Eu te aconselho a fazer um pequeno sacrifício e ir na Missa celebrada nessa capela que é um pouco longe de sua casa. 12 km não é tão distante. Se você não tiver carro, veja com outras pessoas que gostariam de ir, faça uma pequena caravana. Mesmo que pareça um pouco complicado fazer isso, vai compensar, você vai ver. Peça auxílio a Nossa Senhora. Ela não vai deixá-lo na mão.

    Fica com Deus e obrigada pela visita.

  • Hã, não fiquei sabendo desse negócio no deuslovult, o que houve?Estou vendo só pelos comentários aqui.Esse povo moderninho não suporto,quer adaptar certas coisas aos tempos modernos que… não dá!Gente,exemplo de família= Sagrada Família de Nazaré,imutável, para todos os tempos e ponto final.
    bj

  • Nossa Melissa,escrevei semana passada um texto assim, sobre comportamento na Santa Missa e roupa para a Santa Missa para entregar aos meus catequizandos, e agora vejo o seu!Suas colocações vão ajudar muito também,queria falar algo aos pais, posso enviar seu texto na cartinha dos pais?

  • Verdade Melissa,so rezando mesmo,JESUS!!!!!!
    Devo dizer que tb fiquei ofendida,pois sou PURITANA…E com muito orgulho!
    bj.

  • Querida Melissa estaou aprendendo muito em seu blog. Obrigada! Tenho muitas questões sobre levar meu filho de 2 anos à missa. Ele não para quieto, as vezes grita e sai correndo, tentamos mante-lo no colo e nas ultimas vezes levei um briquedo pequeno e suco para distrai-lo um pouco, mas isso me parece errado, afinal eu devo leva-lo pra que ele aprecie Jesus e não o brinquedo. Sei que muitos pensam (e ja ouvi) que devo deixa-lo em casa, o que tambem não me parece correto, afinal devo cria-lo indo a igreja. Além disso estamos em uma cidade nova, sem parentes, mesmo que eu quisesse não tera com quem deixar. Enfim, sentar o mais perto da porta pra sair correndo em caso de uma crise de choro (leia-se berros) me parece o mais certo a fazer. Embora me entristece saber que muitas vezes saio da missa sentindo que perdi algo… Enfim…aceito sugestões e conselhos.

    • Oi, Kelen! Fico feliz com isto!

      Criança pequena é difícil de ser controlada mesmo nesta idade. O ideal é que você fique perto da porta da Igreja, assim, fica fácil sair pra fora em qualquer eventualidade. E não se entristeça se você tiver que sair com seu filho para fora por conta de alguma crise de choro, grito ou mau comportamento, isto faz parte, pois não há outro modo mesmo de remediar a situação dependendo da intensidade do choro e da birra…

      O que pode ajudá-la na questão da educação do seu filho dentro da Igreja é acostumá-lo aos momentos de oração dentro de sua casa. Quando você for rezar suas orações da manhã e da noite, coloque-o junto a você. Diga que “agora é momento de rezar para Jesus e para a Mãezinha do Céu”, ajoelhe-se, deixe que ele veja o que você faz, seus gestos, mãos postas, olhos fechados. Tente fazer com que ele imite você, se ele não imitar, não tem problema, mas sempre procure chamar a atenção dele para você, de modo doce e suave, mas sempre firme. Tente ensiná-lo a fazer o sinal da cruz com a mãozinha. Faça você primeiro, depois mostre a ele. No começo ele nem vai compreender o que está acontecendo ou o que você está fazendo, provavelmente, mas ele vai se acostumar em vê-la fazer isto todos os dias, do mesmo modo, no mesmo local, no mesmo horário. Criança é muito mais observadora do que a gente imagina! Seu exemplo vai contar muito para ele. E quando ele se acostumar com os momentos de oração em casa, na Igreja vai ficar muito mais fácil. Procure sempre, quando estiver na Igreja, falar a mesma frase para seu filho: “agora é momento de rezar para Jesus e para a Mãezinha do Céu”, assim ele vai assimilando o que ele faz em casa com o que ele deve fazer na Igreja. Claro que este não é um trabalho de um dia, às vezes vai tempo, porque criança nessa idade ainda não entende muita coisa. Mas persista, com amor e paciência, que um dia, quando você menos esperar, ele vai estar lhe acompanhando nas orações e ficando quietinho.

      Sobre levar coisas para distraí-lo na Igreja, sinceramente, eu não levaria. No máximo levaria uma água, para o caso de ele ficar com sede. Tem um sermão muito bom do Pe. Daniel Pinheiro: A educação católica dos filhos: “Ensinar desde a mais tenra idade a temer a Deus e a se abster de todo pecado”, acho que pode lhe ajudar bastante. Um pequeno trechinho:

      O fim da educação é a virtude nesta terra, quer dizer a santidade, e a glória eterna na outra vida. Ora, a virtude consiste numa disposição muito bem enraizada para agir bem, fazendo o que é bom, por um bom motivo e nas circunstâncias devidas. Todavia, essa disposição bem enraizada para agir bem, que é a virtude, adquire-se pela repetição dos atos. Assim, quanto mais cedo aprendemos a agir bem, maior facilidade teremos para agir bem posteriormente. Isso quer dizer que a educação deve começar o mais cedo possível, mesmo quando a criança ainda não entende perfeitamente as coisas. Por isso, levamos a criança à Missa desde cedo, ensinamos à criança a rezar, a manter-se bem vestida, a respeitar as coisas sagradas. Em suma ensinamos à criança a evitar o mal e praticar o bem. Aquilo que a criança aprender na sua infância e adolescência dificilmente deixará de praticar na idade adulta. Diz a Sagrada Escritura que mesmo quando a criança envelhecer, não se afastará de seu caminho. Adolescens juxta viam suam, etiam cum senuerit, non recedet ab ea (Prov. XXII, 6).

      Espero que isto possa lhe ajudar. De qualquer forma, sempre que quiser, escreva-me. Se preferir, pode escrever-me diretamente por email, disponível na página Contato.

      Salve Maria Puríssima!

  • Olá Melissa , ficar sentada durante toda a missa pode parecer desrespeitoso ? Até para quem é um novato ou seja que é a primeira vez em uma Igreja Católica ? Ou não tem nada a ver ?

    • Olá!

      A menos que a pessoa possua um problema grave de saúde que não a permita ajoelhar-se, ficar sentado durante toda a Missa, especialmente durante a Consagração, é extremamente desrespeitoso. Se a pessoa está indo pela primeira vez à Igreja Católica, ela deve acompanhar os momentos em que se deve ficar de joelhos, sentada, em pé.

      Fica com Deus! Salve Maria!

  • Não sei o que comentar. Eu fui presidente de uma igreja ( protestante) ou seja pastor. É nesse episódio que vir dessa CANDOBLEIA , acho que vocês entenderão com o sentido da palavra. CANDO+BLEIA , é o fim, nova conotação, creio eu que esse povo deve buscar na palavra de Deus um sentido de uma missa. Levar os fies ao erro é um pecado mortal. Eu tenho 60 anos, fui protestante durante 40 anos, estou pasmo com o que vi. Recomendo a todos, conhecer um ex Pastor Dr. Scott. Para entender na sua profundidade o que a missa representa. Paz e bem

    • Olá, Sr. Johnny!
      A Missa é a renovação do Sacrifício do Calvário de modo incruento. Acredito que a maioria dos Católicos nem sabe o que isso significa. E não sabem o que é a Missa porque não estudam o catecismo. Por isso eu recomendo vivamente, quando me perguntam, que adquiram o Catecismo Maior de São Pio X. Ele é bem simples, em forma de perguntas e respostas, ideal para quem quer começar a estudar as bases da Fé Católica. Depois do estudo do Catecismo Maior de São Pio X seria interessante estudar o Catecismo Romano, que é bem detalhado e traz a doutrina Católica de forma bastante densa.
      Fica com Deus! Salve Maria Imaculada!

  • Olá Melissa!, boa noite. Me batizei na igreja católica no início de abril, tendo como sacerdote o Frei clarencio, aqui em Vila Velha, e vou me casar com minha esposa agora dia 28 de maio de 2016. Parabéns pelo seu empenho aqui na internet. Sim, Salve Maria. Qualquer dia conto a você meu testemunho

Deixe uma resposta