12 de Outubro: Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil – Orações

12/10/2010 Nossa Senhora Aparecida Nenhum comentário

ORAÇÃO

Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida, Mãe de Deus, Rainha dos anjos, advogada dos pecadores, refúgio e consolação dos aflitos e atribulados, Virgem Santíssima , cheia de poder e de bondade, lançai sobre nós um olhar favorável, para que sejamos socorridos por vós, em todas as necessidades em que nos achamos. Lembrai-vos, ó clementíssima Mãe Aparecida, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que têm a vós recorrido, invocado vosso santíssimo nome, e implorado vossa singular proteção, fosse por vós abandonado. Animado com esta confiança, a vós recorremos; tomamo-vos de hoje para sempre por nossa Mãe, nossa protetora, consolação e guia, esperança e luz na hora da morte. Livrai-nos de tudo o que possa ofender-vos e a vosso santíssimo Filho Jesus. Preservai-nos de todos os perigos da alma do corpo; dirigi-nos em todos os negócios espirituais e temporais; livrai-nos da tentação do demônio, para que, trilhando o caminho da virtude, possamos um dia ver-vos e amar-vos da eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém.

CONSAGRAÇÃO DO BRASIL A NOSSA SENHORA APARECIDA

Ó Maria imaculada, Senhora da Conceição Aparecida, aqui tendes prostrado diante da vossa milagrosa imagem o Brasil, que vem de novo consagrar-se à vossa maternal proteção.

Escolhendo-vos por especial padroeira e advogada da nossa pátria, nós queremos que ela seja inteiramente vossa.

Vossa a sua natureza sem par, vossas as suas riquezas, vossos os campos e as montanhas, os vales e os rios, vossa a sociedade, vossos os lares e seus habitantes, com os seus corações e tudo que eles têm e possuem; vosso, enfim, é todo o Brasil.

Sim, ó Senhora Aparecida, o Brasil é vosso!

Por vossa intercessão, temos recebido todos os bens das mãos de Deus, e todos os bens esperamos receber, ainda e sempre, por vossa intercessão.

Abençoai, pois, o Brasil que vos ama, abençoai o Brasil que vos agradece, abençoai o Brasil que é vosso.

Abençoai, ó Rainha de amor e misericórdia, abençoai, defendei, salvai o vosso Brasil!

Protegei a Santa Igreja, preservai a nossa fé, defendei o Santo Padre, assisti os nossos Bispos. Santificai o nosso clero, socorrei as nossas famílias, amparai o nosso povo, esclarecei o nosso governo, guiai a nossa gente no caminho do céu e da felicidade.

Ó Senhora da Conceição Aparecida! Lembrai-vos de que somos e queremos ser vossos vassalos e súditos fiéis. Mas lembrai-vos também de que somos e queremos ser vossos filhos. Mostrai, pois, ante o céu e a terra que sois a padroeira poderosa do Brasil e a Mãe querida de todo o povo brasileiro.

Sim, ó Rainha do Brasil, ó Mãe de todos os brasileiros, venha sempre mais a nós o vosso reino de amor, e por vossa mediação venha à nossa pátria o reino de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso! Amém.

(Fonte: MANUAL DA PARÓQUIA, Petrópolis: Vozes, 1950. p.205-206)

—*—*—*— 

EVANGELHO DA MISSA

(Lc. I, 26-28)

“Naquele tempo, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma Virgem desposada com um varão, cujo nome era José, da casa de David, e o nome da Virgem era Maria. E, entrando o anjo onde ela estava, lhe disse: Eu vos saúdo, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres”.

REFLEXÕES

A grande devoção, que o povo brasileiro tem a Nossa Senhora Aparecida, atrai sobre os fiéis de todo este vasto continente sul-americano as graças que o céu derrama pelas mãos misericordiosíssimas da Virgem imaculada, a Santíssima Mãe de Deus. Não é possível à força humana descrever todos os frutos benditos da devoção a Nossa Senhora Aparecida.

Para sermos participantes dos favores e da proteção desta boa Mãe e Padroeira do Brasil, devemos imitar as suas virtudes, principalmente sua profunda humildade.

Maria, modelo de humildade.

A humildade é a base da perfeição. Se queres levantar o edifício espiritual, escreve Santo Agostinho, pensa primeiro no alicerce que é a humildade. Esta deve ser profundíssima, porque o edifício remonta a Deus.

A primeira condição exigida para que o homem adquira virtudes, é conhecer a si mesmo; é saber o que é na realidade, e proceder de acordo com esse conhecimento.

Dessa virtude fundamental é modelo exímio a Virgem imaculada.

A humildade é a íntima persuasão do nosso nada, da nossa total dependência de Deus, de quem tudo recebemos e a quem devemos tudo referir. Quando falamos de acordo com essa íntima convicção, temos a humildade nas palavras.

Quando nossas ações traduzem essa persuasão, temos a humildade na prática.

Ser humildes é termos convicção da nossa miséria, da nossa fraqueza e do nosso nada; é fugir da estima exagerada dos dons e dignidades que possuímos, considerando-as como coisas que pertencem a Deus e não a nós.

Maria Santíssima se declara ancilla Dómini – serva do Senhor. Reconhece que tudo o que tem e o que é deve a Deus: respexit humilitatem ancillae suae… fecit mihi magna qui potens est…

Traduziu a sua humildade interior, não só nas palavras, mas também em todos os atos da sua vida.

No templo serve a Deus… recebe por esposo um humilde operário… vive na modestíssima casa de Nazaré… obedece às autoridades civis, como se fora o último dos súditos… abriga-se num estábulo como o mais miserável dos mendigos… sujeita-se ao rito de purificação, como se fora uma pecadora… submete-se inteiramente à vontade do seu Criador.

Foi verdadeiramente humilde nos afetos, nas palavras e nas ações.

Imitemo-la. A humildade se funda na verdade. Na realidade nada temos que seja nosso, nada somos por nossas próprias forças: quid habes quod non accepisti?

Nenhum motivo temos para procurar a nossa própria glória… Razões nos sobram para nos confundirmos: somos miseráveis pecadores. A nossa verdadeira glória consiste em glorificarmos a Deus, a quem é devida toda a honra.

(Fonte: MANUAL DA PARÓQUIA, Petrópolis: Vozes, 1950. p.551-553)

Palavras-chave:

Deixe uma resposta