Padre Pio e a Modéstia

Traduzido por Andrea Patrícia

“Vamos nos unir bem muito ao Coração Doloroso de nossa Mãe Celestial e refletir sobre a sua dor infinita e sobre quão preciosa é a nossa alma”. (Padre Pio)
Padre Pio insistiu na Modéstia

Padre Pio não toleraria vestidos curtos ou com decotes baixos, saias justas, e ele proibiu suas filhas espirituais de vestir meias-calças transparentes*. A cada ano a sua severidade aumentava. Ele teimosamente as mandava embora do seu confessionário, mesmo antes de pôr o pé dentro, se julgasse que elas estavam indevidamente vestidas. Em algumas manhãs, ele expulsou uma após a outra, até que ele acabou por ouvir muito poucas confissões. Seus irmãos observaram estes drásticos expurgos com certo mal-estar e decidiram pregar uma placa na porta da igreja:

“Por desejo explícito do Padre Pio, a mulher deve entrar no confessionário vestindo saias PELO MENOS 20 centímetros abaixo do joelho. É proibido emprestar um vestido longo na igreja para usá-los para a confissão”.


Evitemos o menor risco de ofender a Deus nesta área ou de ser uma ocasião de tentação para o nosso vizinho. Que as modas do mundo não sejam o modelo para o nosso vestuário, mas sim a Virgem Maria e os Santos. Vamos seguir os padrões de recato no vestuário, e recordar as palavras de Nossa Senhora a Beata Jacinta Marto de Fátima:

“Os pecados que mais levam almas para o inferno são os pecados da carne. Hão de vir muitas modas que hão de ofender muito a Nosso Senhor… As pessoas que servem a Deus não devem andar na moda. A Igreja não tem modas. Nosso Senhor é sempre o mesmo”.

Algumas vezes, quando o Padre Pio recusou-se a absolver seus penitentes e fechou a porta do pequeno confessionário em seus rostos, as pessoas iam censurá-lo perguntando por que ele agiu desta forma. “Vocês não sabem”, ele perguntou: “Que dor que custa-me fechar a porta a alguém? O Senhor tem me forçado a fazê-lo. Eu não chamo ninguém, nem recuso a ninguém também. Existe alguém que chama, e que as recusa. Eu sou Sua ferramenta inútil”.[1]

–**–**–**–

Citação de uma das cartas do Padre Pio:

“Há, além disso, três virtudes que aperfeiçoam a pessoa devota no que diz respeito ao controle dos seus próprios sentidos. Estas são: a modéstia, a continência e a castidade. Em virtude da modéstia a pessoa devota governa todos os seus atos exteriores. Com razão, então, São Paulo recomendou esta virtude a todos e declarou como é necessária e como se isso não bastasse, ele considera que esta virtude deveria ser óbvia para todos. Pela continência a alma exercita a retenção de todos os sentidos: visão, tato, paladar, olfato e audição. Pela castidade, uma virtude que enobrece a nossa natureza e faz com que seja semelhante à dos Anjos, nós suprimimos a nossa sensualidade e a afastamos dos prazeres proibidos. Este é o retrato magnífico da perfeição cristã. Feliz aquele que possui todas estas belas virtudes, todas elas frutos do Espírito Santo que habita dentro dele. Essa alma não tem nada a temer e vai brilhar no mundo como o sol no céu”.[2]

–**–**–**–

Uma mulher que vendia calças em sua loja de varejo em Vancouver foi se confessar na Itália com Padre Pio e sua absolvição foi recusada…

Ele ordenou que ela voltasse para casa no Canadá e se livrasse de todo seu estoque, e não desse qualquer um dos itens para as pessoas que poderiam usá-los, e se ela quisesse sua absolvição, poderia voltar à Itália e recebê-la, só depois que ela realizasse impiedosamente suas ordens.[3]

–**–**–**–

O Santo Padre Pio deve ter tido uma forte consciência dos perigos da falta de modéstia para as nossas almas imortais, e dos perigos da tentação para o nosso próximo. “Que as modas do mundo não sejam o modelo para o nosso vestuário, mas sim a Virgem Maria e os Santos”.

A Canonização do Padre Pio nos dá a oportunidade para recordar a gravidade do Santo de San Giovanni Rotondo, que colocou este cartaz na porta de sua igreja:

“A Igreja é a casa de Deus. É proibido para os homens entrar com os braços nus ou usando shorts. É proibido para as mulheres entrarem usando calças, sem um véu sobre sua cabeça, com roupas curtas, decotes baixos, roupas sem mangas ou vestidos imodestos”.[4]

–**–**–**–

[1] Dorothy Gaudiose, Prophet of the People, pp. 191-2.
[2] Padre Pio. Volume II – Letters. Correspondence with Raffaelina Cerase, Noblewoman (1914-1915).
[3] Anne McGinn Cillis, Arrivederci, Padre Pio, A Spiritual Daughter Remembers.
[4] Bishop Bernard Fellay. The Dignity of Women: The Misplaced Notions of Feminism.


–**–**–**–

Nota da tradutora: 

*a meia-calça transparente mencionada aqui provavelmente era a preta, que é na realidade objeto de fetiche. 

Fonte: Padre Pio e a Modéstia » Maria Rosa


Comentários ( 14 )

  • Melissa, que bom que você publicou aqui também! Como precisamos de padres santos como Padre Pio! Bom, mas se os padres tivessem um quinto da santidade dele, já estaria ótimo! rsrs

    Como ele se preocupava com a modéstia cristã! Como nós precisamos espalhar por aí estas palavras santas!

    Ele vivia uma vida de união com Cristo. Era uma amizade grande, linda! Ele estava ligado ao Senhor e por isso cobrava de suas filhas que fosse modestas, até porque o próprio Senhor dizia a ele que queria assim! Vejam que ele não confessava as imodestas! E não era por capricho, mas sim porque o Senhor Jesus Cristo ordenava!

    Para Pio, rogai por nós!

  • Sra. Melissa Bergonso, Salve Maria.

    Pelo pouco conhecimento que tenho a Igreja não emitiu uma notificação clara sobre a vestimenta da mulher nos dias atuais.

    Existem calças e “calças”.
    Vestidos e “vestidos”.

    Fiz a referencia entre aspas para destacar que essa vale no termo pejorativo.

    Ou seja: A mulher pode muito bem ser modesta usando um jeans adequado em detrimento de outra, com um vestido provocante e decotado.

    Veja o caso da moça da UNIBAN, que trajava um “vestido”.

    Creio – me corrija se estiver errado – que a calça feminina não desmerece a modéstia nem causa vergonha a quem usa.

    Forte abraço

    Em Jesus e Maria.

    Olegário

  • Tem que saber a história da calça jeans, Daí vai entender que ela é um mal para as mulheres de nosso tempo sim! O problema é que muitas vezes o uso de roupas imodestas se tornaram tão comum que as pessoas não se dão conta.
    Além de tudo faz mal a saúde, os próprios ginecologistas não recomendam o seu uso.

    Paz e Bem!

    Jacqueline Moura

  • Sim, Jacque. No outro artigo que fiz coloquei alguma coisa tirada de um site de moda, mas já que houve reclamação de que tirei de “site não confiável” estou pensando em colocar definições do dicionário de moda, que aí não vai haver dúvida quanto à “confiabilidade” da referência.

    E realmente, calças fazem mal à saúde ginecológica da mulher. Isso é medicinalmente comprovado!

Os comentários estão fechados.